01/10/2020 às 11:33
Inovação


Inovar é deixar de olhar para o próprio umbigo
Ana Paula Lobo

A inovação passa por deixar de olhar para o próprio umbigo e por acreditar que há vida fora da sua empresa e com qualidade. "Não há mais espaço para quem ache que sozinho resolve tudo", afirmou o head de Open Ventures da IBM, Marcelo Salim, ao participar da ABES Software Conference 2020, realizada na semana passada. A força do ecossistema é real e exige adaptações de todos, acrescentou o vice-presidente da VISA, Percival Jatobá. "Descobrimos que ao liberar as APIs, antes da maioria, que uma empresa como a nossa não teria como operar só para ela. A expansão passava por fomentar um ecossistema", acrescentou.

A diretora da Isobar, Ana Leão, admitiu que no mundo das agências, a transformação digital forçou um entendimento sobre a língua falada pela tecnologia, observando que nem todos os clientes estão no mesmo nível de maturidade para encarar 'uma maratona que se transformou em uma corrida de 100 metros'. "Nosso papel é perpetuar a cultura da integração para permitir às marcas interagirem melhor com os seus consumidores", afirmou.

Um dos diferenciais para a nova etapa será a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, assumiram os especialistas. Segundo eles, toda e qualquer ação para o consumidor terá de ser validada pela legislação. No caso das empresas, a LGPD impõe um jogo novo, o da ética no uso dos dados. "O cidadão que sempre foi tutelado, agora, vai ser chamado a dar sua decisão. Cabe a ele dizer o que tolera e o que não tolera com os seus dados. É uma etapa nova e que exige adaptação de todo o ecossistema", pontua Marcelo Salim, da IBM. O vice-presidente da Visa, Percival Jatobá, diz que a LGPD tem ligação direta com o Open Banking. "Acabou o tempo de dizer que fintech e bancos são inimigos. Na verdade, o ecossistema terá de se integrar muito e a LGPD terá papel decisivo", completou o executivo.


Powered by Publique!