GESTÃO

STF define se Justiça pode bloquear WhatsApp por recusa de entrega de dados

Convergência Digital* ... 18/05/2020 ... Convergência Digital

O Supremo Tribunal Federal (STF) se programa para julgar nesta quarta-feira,20/05, duas ações que contestam a validade de decisões judiciais que determinaram o bloqueio do aplicativo WhatsApp em todo o país. A decisão da Corte deverá esclarecer se a Justiça pode impedir o funcionamento temporário do aplicativo devido à recusa de entrega de informações de usuários investigados por diversos crimes.

Em todo o país, magistrados determinam a quebra de sigilo de usuários que são investigados e obrigam o Facebook, que é proprietário do aplicativo, a repassar os dados das conversas com outros usuários à Justiça. No entanto, o aplicativo alega que não pode cumprir a decisão porque as mensagens são criptografadas de ponta-a-ponta, ou seja, não podem ser interceptadas por terceiros e não ficam armazenadas nos sistemas da empresa.

Ao receber a resposta negativa do WhatsApp, os juízes acabam determinado o bloqueio do aplicativo, deixando milhões de pessoas sem conexão. As decisões são amparadas no Marco Civil da Internet, aprovado em 2014. Em um dos artigos, a norma obriga o provador responsável a disponibilizar os dados após a decisão judicial.

O Ministério Público e a polícia argumentam que o aplicativo é usado para a prática de crimes e os ilícitos devem ser impedidos. As ações que serão julgadas foram protocoladas em 2016 pelo partidos Cidadania e PL. As legendas sustentam que o aplicativo funciona como um meio de comunicação e não pode ser interrompido para todos os usuários. Os processos são relatados pela ministra Rosa Weber e pelo ministro Edson Fachin.

*Fonte: Agência Brasil


eSocial: Recolhimento previdenciário de maio adiado para novembro

Gestão do sistema avisa que vai ajustar a DCTFWeb para emitir DARF com os novos vencimentos. 

Governo abre espaço às fintechs para cessão de empréstimo às PMEs

Ministério da Economia diz que o fundo garantidor de R$ 15,9 bilhões do Tesouro Nacional já foi liberado às instittuições. Hoje apenas o Bancoop está apto a habilitar o crédito, mas está liberada a participação das fintechs, bancos cooperados e dos bancos tradicionais.

Ex-presidente dos Correios assume o ITI

ATUALIZADA - Carlos Roberto Fortner, que comandou a ECT em 2018, como o Convergência Digital antecipou foi nomeado para o cargo. Atual presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, Marcelo Buz, se despediu do posto pelas redes sociais. 

Serpro procura imóvel para nova sede em Brasília e espera cortar custo em 30%

Ao pedir ofertas a interessados, estatal indica buscar espaço menor que atual e com capacidade para 700 funcionários. Atualmente são cerca de 1,1 mil. Movimento será repetido nos estados. 




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G