Clicky

Convergência Digital - Home

Furnas usa IA e reconhecimento facial para combater a Covid-19

Convergência Digital
Convergência Digital* - 04/06/2020

FURNAS está usando a inteligência artificial e o reconhecimento facial no combate à Covid-19. A empresa instalou o primeiro totem em sua sede, no Rio de Janeiro, uma plataforma de inteligência artificial que, entre outras funcionalidades, fará o reconhecimento facial e aferição da temperatura corporal.

Ainda em fase de testes, o projeto piloto será estendido às demais unidades da empresa posteriormente. Inicialmente, a tecnologia será aplicada aos colaboradores que exercem funções essenciais de operação e manutenção e seguem atuando in loco para maximizar a garantia da execução destas atividades. No momento, 80% da força de trabalho está operando em regime de teletrabalho.

"Usaremos a inteligência artificial a nosso favor. As informações que a tecnologia pode nos fornecer servirão para orientar os colaboradores e a equipe médica, sugerindo teletrabalho àqueles com risco Covid-19 intermediário e informando à equipe médica sobre colaboradores com alto risco. A plataforma também vai gerar alertas de sanitização de espaços físicos e auxiliará na tomada de decisão, sugerindo momentos ideais para as ondas de retomada ao escritório físico e colaboradores a participarem das ondas sugeridas", explica Pedro Brito, Presidente interino e Diretor de Administração de FURNAS.

O equipamento é composto por totem de check-in com reconhecimento facial e detecção de estado febril via imagem térmica, para controle individualizado de entrada dos colaboradores e fornecedores; sistema automático de detecção de aglomerações usando imagens obtidas das câmeras de sua sede e sistema de pontuação Covid-19, em que serão definidos pontos atribuídos aos espaços físicos e aos colaboradores, baseando-se na detecção de aglomerações e no cruzamento de dados de sintomas reportados ou observados e hábitos, indicando riscos de contágio.

A tecnologia com foco em inteligência artificial e visão computacional foi desenvolvida pela Cyberlabs.Ai, especializada em soluções inovadoras para grandes empresas. Com base nestes dois atributos, a empresa criou uma plataforma web que utiliza imagens de câmeras para extrair informações gerenciais e dados relevantes para a operação.

"O objetivo do sistema de gestão de risco do Covid-19 é proteger os colaboradores, garantir a execução das tarefas essenciais da nossa economia, com segurança, e uma retomada responsável das atividades. O mais moderno em imagens térmicas, visão computacional e aprendizado das máquinas estão aplicados nessa solução. FURNAS se coloca como uma impulsionadora da Inteligência Artificial para resolver problemas reais do nosso país.", diz Marcelo Sales, Co-Fundador e CEO da CyberLabs. Os valores investidos na iniciativa não foram revelados pelas partes.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Diversidade e Ciência de Dados: um desafio ao Brasil

Mais mulheres precisam ocupar carreiras em Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática pelo bem do País, incentiva a embaixadora da Women in Data Science da USP (WiDS @USP), Renata Sousa.

Destaques
Destaques

Palo Alto: É um erro enorme repetir o passado e não tornar a nuvem aberta de verdade

"A nuvem tem de ser aberta, multicloud e não ter complexidade para os sistemas se falarem. Fizemos isso lá trás e foi um prejuízo. Não podemos errar porque nuvem é crucial no 5G", adverte Marcos Oliveira, diretor geral da Palo Alto Networks no Brasil. A empresa aposta suas fichas no 5G e num novo desenho para o mercado de segurança de redes.

Nuvem exige plano A, plano B e erra quem não faz recuperação de desastre

A nuvem não é proteção por si só e exige muito planejamento das empresas, afirmam especialistas de segurança da informação. Para o CISO da RNP, Emilio Nakamura, contingência e resiliência são obrigações. "Ser rápido num incidente é o relevante porque não existem sistemas 100% seguros".



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site