Clicky

Convergência Digital
Inscrição gratuita - Vagas limitadas

Para Anatel, Wi-Fi será base para a evolução do 5G

Luís Osvaldo Grossmann - 02/03/2021

A decisão da Anatel que fez do Brasil o primeiro país a regulamentar completamente o uso não licenciado em baixas e baixíssimas potências em toda a faixa de 6 GHz é um movimento com impacto fundamental na evolução das redes móveis de 5G. Para o vice-presidente da Anatel, Emmanoel Campelo, a decisão é histórica e chega na hora certa. 

“É importante destacar que o novo padrão surge em um momento crucial das telecomunicações, no Brasil e no mundo. A evolução do 5G depende da massificação das redes locais. E além do 5G e do grande volume de offload, a pandemia trouxe uma nova perspectiva sobre o uso das redes. Home office e home schooling ganharam novas dimensões, o que já causa stress nas redes domésticas e deve ganhar maior escala”, afirmou Campelo. 

Relator da proposta que foi a consulta pública antes da aprovação da Anatel, Campelo participou nesta terça, 2/3, do ‘Wi-Fi 6E no Brasil’, promovido pelo Wi-Fi NOW, com colaboração do Convergência Digital. Ele ressaltou o crescimento do tráfego e a complementaridade dos sistemas licenciados e não licenciados, bem como o papel das redes Wi-Fi no dia a dia das conexões. “No Brasil, pelo menos 71% dos domicílios possuem conexão de banda larga fixa e 80% deles usam Wi-Fi. Mesmo com crescimento constante das redes móveis, as redes sem fio LAN são cada vez mais importantes para escoar tráfego, por terem baixa latência e pela inexistência de franquias ainda aplicadas ao serviço móvel.”

Para o vice-presidente da Anatel, a decisão tem uma série de impacto positivos. “O principal é conectar brasileiros com altíssima velocidade em áreas onde o serviço móvel não está disponível. Para um país com os gaps sociais que possuímos, isso se mostra absolutamente relevante. E conectar essas áreas com qualidade traz benefícios ao comércio local, à economia, dá suporte para educação, para informação, sem falar nas conexões M2M em setores chaves da economia, na indústria e no agronegócio.”


Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Oi: fibra ótica é o chassi de suporte para Wi-Fi 6, Wi-Fi 6E e 5G

Para o VP da Oi, Carlos Eduardo Monteiro, o Brasil tem desafios a vencer para a expansão do Wi-Fi 6, como ofertar mais segurança jurídica e regulatória para os investimentos. O câmbio – já que todos os aportes e equipamentos são atrelados ao dólar – desponta como um gargalo a ser enfrentado.

Empresa brasileira se prepara para oferecer Wi-Fi como serviço

Definindo-se como uma empresa de software que precisa de hardware e frequência para atuar, a Mambo Wi-Fi diz que os hotspots públicos vão crescer até nove vezes até 2022 com a liberação da faixa de 6 GHz para serviços não licenciados.


Wi-Fi 6E Brasil 2021 - clique aqui para ver o especial completo
Editora Convergência Digital
Copyright © 2005-2021 Editora Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site

Wi-Fi Now Global Wi-Fi 6E Brasil - 02 e 03 de março de 2021