NEGÓCIOS

Fabricantes de PCs e celulares relatam falta de componentes para produzir no Brasil

Convergência Digital ... 06/02/2020 ... Convergência Digital

Uma sondagem realizada pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) com as empresas fabricantes de produtos do setor eletroeletrônico apontou que 52% das entrevistadas já apresentam problemas no recebimento de materiais, componentes e insumos provenientes da China.

Essa situação foi observada principalmente entre as fabricantes de produtos de Tecnologia da Informação (celulares, computadores, entre outros). A pesquisa foi realizada no dia 05 de fevereiro de 2020, com a participação de cerca de 50 indústrias das diversas áreas do setor eletroeletrônico.

O atual desabastecimento de componentes e insumos é consequência da paralisação de algumas fábricas na China decorrente da epidemia de coronavírus que está ocorrendo naquele país. Conforme o levantamento, caso essa situação persista, 22% das empresas pesquisadas sinalizam eventuais paralisações na produção nas próximas semanas, visto que a falta de materiais, componentes e insumos oriundos da China dificulta a continuidade da fabricação de bens do setor eletroeletrônico.

Mesmo as entrevistadas que ainda não foram afetadas por esse problema citaram que se o abastecimento de componentes e insumos da China não se normalizar nos próximos 20 dias será muito difícil conseguir manter o mesmo ritmo de atividade nos próximos meses. "Estamos muito preocupados com os impactos na produção do setor e continuamos avaliando a situação de perto", afirma o presidente executivo da Abinee, Humberto Barbato.

Vale lembrar que a China é a principal origem das importações de componentes do Brasil, totalizando US$ 7,5 bilhões em 2019, o que representa 42% do total. Destaca-se também que os demais países da Ásia foram responsáveis por 38% das importações de componentes elétricos e eletrônicos em 2019. Portanto, a região total da Ásia representou 80% da origem dos componentes elétricos e eletrônicos do País.


Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

iFood compra SiteMercado e avança em entregas de mercadorias

Portal reúne vendedores em 476 cidades de 24 Estados do país. Valor do negócio não foi revelado.

Mercado celular despenca 30,7% no 2º trimestre

Dificuldades no abastecimento, fechamento do comércio por conta da Covid-19. Quase 800 mil aparelhos foram vendidos no mercado cinza, uma alta de 8,3% em relação ao mesmo período no ano passado, diz a IDC Brasil.

Dólar e pandemia derrubam venda de impressoras em 41% no Brasil

Preços chegaram a aumentar 21%. Projeção da IDC Brasil é de alguma recuperação, com 2020 fechando com recuo de 16%.

Registradoras financeiras usam blockchain para operar sistema de registro de ativos

A B3, CERC, CIP e CRDC, empresas autorizadas pelo Banco Central a operar sistemas de registro de ativos financeiros, adotaram a infraestrutura de blockchain corporativo Corda Enterprise da R3 para conversarem entre si.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G