Home - Convergência Digital

Pandemia de Covid-19 promove uma corrida por programadores em Cobol

Convergência Digital* - 15/04/2020

A pandemia de coronavírus criou uma corrida por programadores de Cobol, linguagem computacional desenvolvida nos Estados Unidos em 1959 para a criação de sistemas financeiros, e por várias vezes condenada à extinção e que se prova sempre resiliente e forte com a existência dos mainframes. A IBM e a Fundação Linux estão convocando especialistas que tenham familiaridade com a linguagem para auxiliar na operação de sistemas antigos de computação nos Estados Unidos.

Governos que utilizam modelos fundados nas décadas de 1960 e 1970 precisam lidar com a nova demanda de processamento de dados durante a pandemia e tem dificuldade para encontrar profissionais que saibam programar nessa linguagem, que perdeu popularidade nos últimos 40 anos.

A busca por profissionais acontece em função de serviços como, por exemplo, o repasse de recursos a desempregados precisa ser feito por mainframes programadoss em Cobol. Passam por essa dificuldade governos de estados como Nova Jersey, Kansas e Connecticut, que precisam de voluntários. A Cobol foi uma das primeiras linguagens de programação de alto nível, criada no Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Como grande parte dos computadores produzidos nos anos 1960 eram destinados ao governo, a linguagem vinha de fábrica e se popularizou em diversos países.

Em seu site nos Estados Unidos, a IBM diz que clientes estão "enfrentando circunstâncias sem precedentes" durante a pandemia de Covid-19. "Alguns estados que precisam de habilidades adicionais de programação para fazer alterações em Cobol 15, linguagem com 220 bilhões de linhas de código em uso hoje. Essas alterações no código são necessárias para levar em conta os novos parâmetros de elegibilidade para pagamento de desemprego, em um prazo muito curto", diz a publicação.

Em parceria com a Fundação Linux, a companhia lançou três iniciativas para suprir a demanda temporária: um fórum que conecta programadores de Cobol a empregadores, um fórum técnico em que especialistas podem dar aconselhamento voluntário, e uma plataforma aberta de treinamento para a linguagem. Um relatório da Reuters, publicado em 2017, reportava que 43% dos sistemas bancários ainda eram construídos com Cobol. Além disso, a tradicional linguagem é usada em ao menos três agências governamentais americanas.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

06/07/2020
Governo de SP e startup abrem 50 mil bolsas de estudo gratuitas para cursos de programação

26/05/2020
Carrefour vai qualificar gratuitamente 25 mil profissonais de TI

22/05/2020
Santander Coders oferece 240 bolsas para desenvolvimento mobile

15/05/2020
Mais de 10 mil mulheres estão inscritas para o Santander Coders

15/04/2020
Pandemia de Covid-19 promove uma corrida por programadores em Cobol

25/03/2020
Instituto TIM oferece cursos online e gratuitos para capacitação

28/01/2020
TypeScript, Go, Kotlin: qual dessas você quer usar para programar?

23/01/2020
SESI/São Paulo incorpora programação e robótica à grade curricular

16/01/2020
Parceria oferece 100 mil vagas gratuitas em cursos de programação

12/12/2019
Escola de programação no Brasil só cobra depois do aluno receber o primeiro salário

Cientista de dados vai muito além de um analista de BI

São os cientistas de dados que têm capacidade de levar milhares de variáveis em consideração para definir a melhor tomada de decisão, pontua Luiz Malere, gerente de customer advisor e inovação do SAS.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Seis dicas para formar uma equipe de trabalho resiliente

or Craig Mackereth*

Formar uma equipe ou força de trabalho resiliente não é tarefa que se execute da noite para o dia. Tampouco é possível tornar uma equipe verdadeiramente resiliente se isso ainda não estiver integrado ao DNA da empresa.

Destaques
Destaques

Teletrabalho: medo de perder emprego cria obrigação de ficar 100% online

Pesquisa do LinkedIn aponta que 68% dos brasileiros têm trabalhado de uma a quatro horas a mais por dia por conta de estarem em home office. Maior parte reclama de ansiedade e estresse. Maioria também reclama da ausência dos colegas de trabalho, mas 43% se sentem mais produtivos com o trabalho remoto.

TST suspende demissões na Dataprev enquanto durar crise da Covid-19

Trabalhadores alegaram que os prazos acordados no fim da greve não terão como ser integralmente cumpridos diante da situação emergencial com a epidemia do coronavírus. 

TST: Teletrabalho tem de respeitar os contratos vigentes

Corte aponta, no entanto, que em situações emergenciais, como a atual crise da Covid-19, a adoção da jornada online temporária prescinde formalização, mas deve respeitar leis trabalhistas. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site