NEGÓCIOS

Alcatel Lucent Enterprise quer levar modelo da nuvem para as redes locais

Ana Paula Lobo ... 04/02/2016 ... Convergência Digital

O modelo de pagar por utilização pela porta do switche na rede local é uma das maiores apostas da Alcatel Lucent Enterprise (ALE) para consolidar a sua atuação no mercado nacional em 2016. Nos próximos dois trimestres, um grupo de especialistas da companhia no país vai avaliar como estruturar o melhor modelo de negócios.

"Essa é uma iniciativa que é nova e que muda a relação cliente e fornecedor e vai além de um modelo financeiro. Não há mais custo fixo pelo switche, mas, sim, pelo uso dele", explica Nuno Ribas, vice-presidente de vendas para a América Latina e Caribe da fabricante, em entrevista ao portal  Convergência Digital.

Ribas também confirma que - após a venda da Alcatel Lucent, da qual é um spin off, para a Nokia Networks - a empresa permanecerá usando a marca Alcatel Lucent Enterprise pelo menos até o fim de 2018. "É um acordo de acionistas", explica. Controlada, hoje, pelo fundo chinês de investimentos Huaxin, a ALE passa a deter 15% de participação da Nokia Networks, por conta das ações herdadas da Alcatel-Lucent.

O ano de 2016 promete ser bastante complicado - há clientes, sim, chamando os canais - uma vez que a ALE só atua por venda indireta - para renegociar os contratos existentes. "O dólar alto e o momento determina uma revisão do que é ofertado", diz o executivo. Mas também pode ser de grandes oportunidades, uma vez que muitas empresas começam a entender que é possível buscar novos modelos de negócios para garantir a comunicação e a eficiência dos negócios, acrescenta o executivo.

A Alcatel Lucent Enterprise aponta que, hoje, pelo menos 15 mil empresas de todos os portes utilizam algum equipamento ou serviço da ALE. "A nossa ideia é consolidar essa base com a oferta de produtos e serviços na nuvem", completa o vice-presidente de vendas para a América Latina e Caribe.


Trabalha com dados? Você precisa saber o que é o Lifelong Learning

Buscar o constante aprendizado é uma ferramenta essencial para qualquer profissional. Isso vale ainda mais para quem trabalha em uma área dinâmica e que requer pensamento holístico como o profissional de dados.

Unicórnio brasileiro avança operações de pagamento para décimo país

Ebanx anunciou que também vai processar pagamentos no Uruguai. "Unicórnio" com mais de US$ 1 bi, empresa está também no México, Colômbia, Argentina, Chile, Peru, Bolívia, Equador e Uruguai, além do Brasil.

Finplace amplia em mais de 200% a oferta de crédito para PMEs

Criada no final do ano passado, a plataforma já movimentou mais de R$ 50 milhões e contabiliza 108 financiadores e uma carteira com mais de 500 clientes.

No Brasil, 65% das empresas estão bem longe das regras da LGPD

Índice LGPD ABES mostra ainda que 40% das companhias brasileiras sofreram incidentes de violação nos últimos dois anos e 80% assumem que fazem, sim, coleta de dados sigilosos. "Não há mais tempo a perder", adverte o consultor da EY, Marcos Sêmola.

Positivo Tecnologia: "Falta PC para vender no varejo"

Tês meses depois da pandemia, a demanda por PCs aumentou mais de 50% no mercado nacional. “Seguramos a produção por precaução, e, agora, faltam alguns produtos para atender ao varejo", diz Norberto Maraschin Filho, vice-presidente de Negócios de Consumo e Mobilidade da Positivo Tecnologia.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G