INTERNET

Autor do PL das 'fake news' sugere cortar imposições às plataformas e deixar debate para CGI.br

Luís Osvaldo Grossmann ... 01/06/2020 ... Convergência Digital

Para evitar um dos pontos mais controvertidos do projeto de lei sobre ‘fake news’, o autor do PL 2630/20 no Senado Federal, Alessandro Vieira, propôs a retirada do texto dos artigos que tratam de obrigações impostas às plataformas online na moderação de conteúdo, bem como as agências de checagem de fatos. 

“Um ponto que gerou bastante ruído, porque não tem consenso técnico global é a questão da moderação de conteúdo e a checagem dos fatos. Apresentamos como sugestão ao relator a supressão de todo aquele texto, muito forte ali no artigo novo, tudo aquilo fica retirado para uma discussão posterior”, afirmou o senador Alessandro Vieira ao participar de debate nesta segunda, 1º/6, promovido pela Frente Digital, uma frente parlamentar pela economia digital. 

A ideia, explicou, é deixar essa parte para um debate mais aprofundado, coordenado pelo CGI.br “A gente sugere que se encaminhe a um grupo de trabalho a ser montado e conduzido pelo Comitê Gestor da Internet para que em 12 meses apresente proposta de um código de conduta para plataformas e checadores de fatos no tocando à desinformação”, completou. 

Entre elas, o projeto de lei determina que os provedores de aplicação, por exemplo Facebook ou Whatsapp, devem “rotular o conteúdo desinformativo como tal”, e ainda “interromper imediatamente a promoção paga ou a promoção gratuita artificial do conteúdo”. Para saber o que é informação correta, há um grande empoderamento das chamadas agências de verificação, ou checagem. Não por menos, a principal preocupação de entidades de direitos digitais é que projeto obriga as plataformas a fazer filtragens de conteúdo. 

“É fundamental que seja possível construir mecanismos de regulação dessas empresas. A grande discussão é regular sobre o que, a partir de que princípios. Nós nos filiamos às iniciativas a combater a desinformação. Mas ela não precisa ser feita a partir da regulação de conteúdo, especialmente uma vez que será por agentes privados, sejam redes de conteúdo ou agencias de checagem”, pontuou Bia Barbosa, da Coalizão Direitos na Rede. 

No Senado, o colégio de líderes marcou a votação do projeto em Plenário já nesta terça, 2/6. Como alerta Bia Barbosa, é um movimento prematuro uma vez que não se conhece ainda o texto que será submetido aos senadores. “Se relator não incorporar as sugestões [do autor], se incorporar criminalização de condutas, como tem defendido. Precisa incorporar os disseminadores externos, contratados para milhões de disparos. Marcar para amanhã um texto que não se conhece na véspera é um atropelo”. 


Revista Abranet 31 . maio-julho 2020
Veja a Revista Abranet nº 31
A pandemia da Covid-19 fez a rotina mudar num piscar de olhos. E coube à internet mostrar a sua força. O aumento significativo do tráfego de dados por conta do teletrabalho e do isolamento social foi uma realidade assustadora. Veja a revista completa.
Clique aqui para ver outras edições

Google testa no Brasil e Alemanha plataforma de remuneração para notícias

Empresa promete investir US$ 1 bilhão nos próximos três anos em parcerias com a mídia em produto lançado nesta quinta, 1º/10.

Com covid-19, conectividade vira item essencial nas corporações

Digitalização obrigou as empresas a repensarem suas estratégias de conectividade, revela pesquisa com 2000 executivos no Brasil.

Em acordo com TSE, WhatsApp cria chatbot e canal de denúncias para Fake News

Robô vai responder questões relacionadas ao processo eleitoral e ainda esclarecer temas alvo de desinformação. 

Instagram passa Facebook Messenger e está em 81% dos celulares no Brasil

WhatsApp continua como o aplicativo mais popular no país, instalado em 99% dos dispositivos móveis. Telegram cresce e está em 35%. 

LGPD: Anatel cria página para explicar quais dados são coletados de usuários de telecom

Segundo agência, dados podem ser compartilhados com as operadoras quando houver reclamação junto ao regulador, com órgãos públicos ou em ações de órgãos de controle ou juidiciais, para realização de estudos, etc. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G