NEGÓCIOS

Grupo Cimcorp e Resource, agora, são Qintess

Convergência Digital ... 13/12/2019 ... Convergência Digital

Fruto da integração do Grupo Cimcorp e da Resource, a Qintess nasce da obsessão de servir aos clientes criando valor real e compartilhando a visão de como a transformação digital pode criar um mundo melhor, mais sustentável, socialmente inclusivo e ético. Considerada a etapa mais avançada desde a união das duas empresas, a iniciativa tem como objetivo potencializar as ofertas já entregues por ambas ao mercado brasileiro e internacional, reforçando seu posicionamento como uma empresa digital que, através do talento das pessoas e da tecnologia, pode entregar uma experiência excepcional a seus clientes.

“A criação da nova marca faz parte de uma série de iniciativas estruturadas pelo Grupo, que ao longo dos últimos 8 anos, atuou por meio de aquisições de empresas como Getronics Brasil, Sopho e Damovo para diversificar seu portfólio de infraestrutura, conectividade, workspace e multicloud”, explica Nana Baffour, Presidente e CEO da Qintess. “A aquisição da Resource, em junho deste ano, coroou essa estratégia e trouxe para o nosso portfólio toda a competência de Apps, inovação e soluções de negócio. Agora, a Qintess nasce para levar essas ofertas de forma integrada, inteligente e inovadora ao mercado”, conclui.

Com cerca de 3.500 colaboradores, entre Brasil, Colômbia e Chile, a Qintess já nasce grande e terá toda a sua estratégia de posicionamento e oferta baseada nos princípios da ESG (Environmental, Social and Corporate Governance, na sigla em inglês), que se referem às melhores práticas ambientais, sociais e de governança. “A Qintess pretende criar um portfólio de clientes conectados com estes valores e que estejam dispostos a compartilhar a visão sobre como a transformação digital mudará o mundo para melhor”, explica Baffour.

A consolidação da marca também reforça o novo modelo de negócios da companhia, que traça uma estratégia baseada nas pessoas. “Queremos ajudar as empresas a se anteciparem ao futuro por meio de uma estratégia centrada nas pessoas, pois temos convicção de que elas são, dentro das organizações, os principais agentes propulsores da transformação digital”, diz Rogério Dias, Vice-Presidente Executivo da Qintess.

A inovação é outro ponto de destaque que pautará a atuação da nova companhia. Privilegiar o novo, o que pode trazer disrupção na forma de fazer negócios e gerar resultados. “Este é um importante passo para nos consolidarmos, em definitivo, como o parceiro estratégico de clientes no Brasil e na América Latina, oferecendo todos os recursos necessários para alavancar suas jornadas de transformação”, afirma Dias.

Presente em mais de 150 cidades brasileiras, atendendo a mais de 500 empresas, a Qintess tem como meta ampliar o suporte às organizações, com opções totalmente alinhadas ao modelo ágil e disruptivo, simplificando o complexo e levando mais valor agregado aos clientes.


ARTIGO . Por Melissa Torgbi

Cientista de dados: seja curioso, se envolva e tenha muita disposição para resolver problemas

Há muita empolgação acerca do termo “ciência de dados” atualmente. Para nós que queremos ser cientistas de dados, há alguns requisitos. Um deles: ter muita, mas muita vontade de aprender o tempo todo.

Unicórnio brasileiro avança operações de pagamento para décimo país

Ebanx anunciou que também vai processar pagamentos no Uruguai. "Unicórnio" com mais de US$ 1 bi, empresa está também no México, Colômbia, Argentina, Chile, Peru, Bolívia, Equador e Uruguai, além do Brasil.

Finplace amplia em mais de 200% a oferta de crédito para PMEs

Criada no final do ano passado, a plataforma já movimentou mais de R$ 50 milhões e contabiliza 108 financiadores e uma carteira com mais de 500 clientes.

Se a bitcoin fracassar, o blockchain morre abraçado

FastBlock, empresa brasileira especializada em mineração por serviço, compra data center nos EUA para acelerar a mineração das criptomoedas. Ao Convergência Digital, o CEO Bernardo Schucman, adverte: Brasil não abre espaço à inovação. Sobre a credibilidade da bitcoin, o executivo diz que o estigma é concorrencial. "O velho mundo rejeita o novo. Golpes existem desde sempre. O que é a gangue do boleto?".

No Brasil, 65% das empresas estão bem longe das regras da LGPD

Índice LGPD ABES mostra ainda que 40% das companhias brasileiras sofreram incidentes de violação nos últimos dois anos e 80% assumem que fazem, sim, coleta de dados sigilosos. "Não há mais tempo a perder", adverte o consultor da EY, Marcos Sêmola.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G