GESTÃO

Governo fica responsável pelos dados, mesmo com a venda do Serpro e Dataprev

Luís Osvaldo Grossmann ... 04/06/2020 ... Convergência Digital

O secretário de governo digital, Luis Felipe Monteiro, voltou a defender que a eventual privatização das grandes empresas de TI do Estado, Serpro e Dataprev, não terá impacto sobre a governança dos dados e mesmo dos sistemas informáticos. 

“Os dados e os sistemas não são propriedade das empresas. Eles são propriedade dos contratantes, dos órgãos. Então independente do modelo de operação das empresas, os dados continuarão sendo custodiados pelo governo e propriedade do próprio cidadão. Estamos bastante tranquilos em relação a esse elemento que é a propriedade do dado”, afirmou Monteiro.

Mais cedo, indicara que o movimento da administração federal em direção a um cadastro unificado dos cidadãos não implica em armazenamento centralizado. “Não é centralização de dados num só lugar. O que queremos dar é uma visão única de quem é o brasileiro, inclusive para induzir politicas públicas, mas manter os dados descentralizados e protegidos nas respectivas fortalezas.”

Segundo ele, as vantagens e desvantagens da privatização ainda estão sob análise. “Há prós, há contras. Isso está sendo estudado com extrema atenção para que a gente não tenha retrocessos e sim muitos avanços”, disse o secretário de governo digital ao discutir a transformação digital em webinar promovido pela agência InPress nesta quinta, 4/6. 

“A privatização das empresas está neste momento em estudo. O governo colocou a intenção, mas não decidiu ainda qual o modelo. Contratou o BNDES, para avaliar de forma ampla e extensiva quais são opções modelos alternativas, prós e contras de cada modelo de desestatização.”


Carreira
Apps proibidos acirram confronto entre patrões e empregados no home office

Pesquisa mostra que mais de  50% da chamada geração Millenium e da geração Z ignoram as políticas de segurança dos empregadores. Levantamento da PWC, porém, também aponta que pouco mais de 20% das empresas, de fato, estabeleceram regras para o trabalho remoto.

Órgãos públicos estão obrigados a fazer relatórios trimestrais de transformação digital

Monitoramento será acompanhado pela Secretaria Especial de Modernização do Estado da Secretaria Geral da Presidência da República. Norma também aprova 23 planos de transformação digital dos órgãos do governo federal que estão em execução.

Teletrabalho: Brasil somou 8,7 milhões de trabalhadores em home office em junho

Estudo do IPEA mostra que o índice da adesão ao home office no serviço público é mais de três vezes a proporção do setor privado. Em junho, 24,7% dos trabalhadores do setor público exerciam atividade remota, mas, no setor privado, eram apenas 8%.

TCU dispensa papel e adota protocolo 100% digital

Documentos a serem protocolados junto ao Tribunal de Contas da união, para qualquer finaldiade, agora devem ser encaminhados, exclusivamente, por meio dos serviços via internet. 

Trabalho remoto reduziu R$ 466 milhões em despesas de custeio do governo

Levantamento divulgado nesta segunda, 3/8, pelo Ministério da Economia, lista deslocamentos e viagens, além dos serviços de energia elétrica e comunicação como principais cortes com a pandemia de Covid-19.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G