Home - Convergência Digital

5G e Internet das Coisas exigem um uso remodelado dos postes

Convergência Digital - Carreira
Por Roberta Prescott e Pedro Costa - 05/06/2019

A Anatel está atualizando as regras do compartilhamento de postes em conjunto com a Aneel. Em entrevista à Abranet, Fábio Casotti, gerente de monitoramento das relações entre prestadoras na superintendência de competição na Anatel, o objetivo é obter condições justas para a utilização dos postes.

Questionado sobre o valor do ponto de fixação para as pequenas empresas, Casotti defendeu que a Resolução Conjunta nº 4 foi positiva para trazer uma dinâmica de preço de referência. "E hoje percebemos que ela pode ser aprimorada, tendo um regime que possa melhor reproduzir os custos e debater a modicidade tarifária. Estamos discutindo com a Aneel para ter condições mais justas para os prestadores regionais", disse.

Casotti reforçou a narrativa lembrando que Internet das coisas, 5G e cidades inteligentes requerem adensamento. "Estamos de face ao movimento que leva a usabilidade para outro patamar; o que era voltado para experiências individuais passa agora para um ecossistema novo", disse. "Há necessidade de densificação para suprir a demanda por conectividade, confiabilidade, latência e capacidade. Vamos precisar dotar o País de uma densa e muito sólida rede de fibra ótica e small cells", completou.

No Brasil, existem, atualmente 46 milhões de postes e a Anatel identificou algo como 9 milhões de postes elegíveis à unificação, isto é, que estão expostos à demanda além de sua capacidade formal. "É enorme a importância do tema e como ele se insere no atual momento da indústria quando estão sendo elaborados os planos de negócios, das faixas e desenhos de licitações", afirmou, ressaltando que a Anatel não está inerte e está fazendo a revisão da norma.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

04/06/2020
Convenções partidárias para Eleições 2020 podem ser feitas por videoconferência

03/06/2020
TSE manda Dataprev parar de usar dados da Justiça Eleitoral para avaliar auxílio emergencial

03/06/2020
Ex-presidente dos Correios assume o ITI

03/06/2020
Serpro procura imóvel para nova sede em Brasília e espera cortar custo em 30%

02/06/2020
Oi lança internet por fibra ótica com 400 Mega de velocidade

01/06/2020
Latinos desconfiam de censura em dados sobre a Covid-19

29/05/2020
Aloo Telecom cede rede de fibra ótica para viabilizar UTI virtual

29/05/2020
Anatel discute quais dados econômicos vão ser coletados das grandes operadoras

29/05/2020
Câmara prorroga desoneração da folha de TI até dezembro de 2021

28/05/2020
STF: Fachin diz que bloqueio do WhatsApp passa pela Autoridade de Dados

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site