Clicky

INCLUSÃO DIGITAL

Wi-Fi 6/Wi-Fi 6E estão prontos para serem massificados na América Latina

Por Roberta Prescott* ... 19/01/2021 ... Convergência Digital

O Wi-Fi 6 e o 5G vão gerar oportunidades equivalentes de negócios às empresas de internet, devido à baixa latência e largura de banda, apontou Max Tremp, diretor de engenharia da Cisco América Latina, em coletiva de imprensa, realizada nesta terça-feira (19/1), na qual comentou o estudo Tech Trends: 2021 and Beyond, que traz as perspectivas e apostas da Cisco para 2021.  

O novo estudo reuniu os insights de mais de 23 mil CIOs e profissionais de TI no mundo (incluindo Brasil entre os países da América Latina pesquisados) para 6 tendências, que vão de 5G e Wi-Fi 6 e segurança até o aumento do uso de sensores. 

O Brasil, destacou, é depois dos Estados Unidos — onde a FCC, agência reguladora, aprovou a faixa dos 6 GHz — e do Chile, o país da região que colocou o espectro em consulta pública.  O estudo mostra que o Wi-Fi 6 é muito similar enquanto largura de banda e latência ao 5G, então, há muitos casos de usos em IoT, em estádios, centros comerciais, onde haja muita densidade para não ter de colocar tantos hotspots.

“Wi-Fi é a tecnologia sem fio com a maior porcentagem de uso dentre todas as tecnologia sem fio. E também pode haver a combinação com outras tecnologias como Lora”, reforçou o executivo da Cisco.  Há espaço também para as aplicações mais sofisticadas, como as de bordas da rede para, por exemplo, automatizar plataformas petroleiras e na agricultura. 

A combinação de 5G e Wi-Fi 6 terá também um papel relevante para reduzir a lacuna digital. Max Tremp explicou que as tecnologias se complementam na medida em que o 5G está melhor desenhado para áreas abertas e banda larga fixa, enquanto que Wi-Fi 6 se ajusta melhor para fábricas, estádios, centros de convenções, hotspots etc. 

Mesmo que existam alguns pilotos de 5G, Tremp observou que ainda há potencial para explorar o 4G na América Latina. O especialista acredita que a evolução para o 5G será progressiva e levará algum tempo, até em função dos custos para a infraestrutura. Já o Wi-Fi 6/Wi-Fi 6E está disponível no mercado e para ampliar sua cobertura basta abrir a banda de 6 Ghz às empresas de internet. No continente, Estados Unidos e Chile já liberaram o espectro, enquanto que Argentina, Brasil, Canadá, Costa Rica, Colômbia, México e Peru estão em processo de consulta.  

No Brasil, a faixa de 6 GHz, de 5,925 GHz e 7,125 GHz, deve ser alocada para uso não licenciado, abrindo caminho para aplicações de Wi-Fi. A indicação, feita pela Anatel em 10 de dezembro, foi aplaudida pela Coalizão Wi-Fi6E Brasil, da qual a Abranet é signatária ao lado de outras instituições como Abrint, Oi, Amazon, Apple, Facebook, Google, Internetsul e Qualcomm. A Coalizão Direitos na Rede também celebrou a decisão da agência. A sugestão, que está em consulta pública, passou de forma unânime no colegiado anatelino, apesar de toda a pressão em contrário exercida pelas operadoras celular e pelos fabricantes de equipamentos de rede móveis.    


Carreira
Brasileiros admitem vazar dados em troca de benefícios pessoais

Pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisa do Risco Comportamental (IPRC), em 24 empresas privadas do país, mostra que apenas 1/3 dos profissionais ouvidos têm  consciência de que o dado é um bem da organização. O restante admite não guardar sigilo das informações.

Toxicidade da Internet: seu filho pode não ser a vítima, mas o agressor

"Tem uma série de regras de educação, valores da família, formas de se comportar que não valem só para o jogo, para a rede social, valem para a vida”, diz a professora e psicoterapeuta, Ivelise Fortim.

Cert.br: Pais aprendam com as crianças a fazer uma Internet Segura

"Vamos ouvir mais do que falar. Os pais precisam fazer os filhos falarem como atuam na Internet. É uma aprendizagem mútua e necessária", recomenda a analista de segurança Miriam von Zuben. 

Mais de 70% das escolas no Brasil assumem casos de cyberbullying

É imperativo que se trate a Internet como um lugar real e que se responsabilize as pessoas pelos seus atos para evitar os ataques, observou a especialista em comportamento e psicopedagoga Érica Alvim.

Internet está longe de ser ruim para crianças e adolescentes

"Há milhares de aplicações positivas na Internet. O segredo é educar e conscientizar", sustenta o gerente de segurança do CAIS/RNP, Edilson Lima.

Internet Segura: Diálogo é a vacina dos pais contra ameaças virtuais às crianças

Em sua 15ª edição, o Dia Internacional de Segurança em Informática, promovido pela RNP, discutiu como a prevenção é fundamental em tempos de crianças e adolescentes hiperconectados.

Brasil é um dos países mais agressivos na Internet

País é o 25º em 32 países analisados em estudo produzido pela Microsoft. Por aqui, 41% acham que ataques e desinformações cresceram com a pandemia, enquanto 26% apontam que atitudes melhoraram. 



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G