NEGÓCIOS

CADE multa cartel internacional de cabos subterrâneos e submarinos em R$ 20,9 milhões

Da redação ... 15/04/2020 ... Convergência Digital

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) condenou quatro empresas e três pessoas físicas por formação de cartel internacional, com efeitos no Brasil, no mercado de cabos subterrâneos e submarinos. Os produtos são utilizados na transmissão de energia elétrica entre as unidades geradoras e distribuidoras e os usuários finais do serviço. O valor total das multas aplicadas é de R$ 20,9 milhões.

A investigação do Cade teve início a partir da celebração de acordo de leniência com as empresas Sumitomo Eletric Industries Limited, Hitachi CableLtd, e J Power Systems, que confessaram participação nas práticas anticompetitivas e forneceram provas documentais sobre o funcionamento do cartel.

De acordo com o voto do relator do caso, o então conselheiro Paulo Burnier, o conluio foi efetivado por meio de contatos periódicos entre fabricantes de cabos subterrâneos e de cabos submarinos. Foram enviados e-mails e realizadas diversas reuniões multilaterais entre concorrentes,com o objetivo de trocar informações sensíveis, fixar preços, dividir mercados e alocar clientes. A prática colusiva teve a participação de produtores da Europa, do Japão e da Coréia do Sul, e durou de 1990 a 2004.

Pelas condutas anticompetitivas que causaram prejuízos aos consumidores de energia elétrica no Brasil, o Tribunal do Cade condenou as empresas Nexans, Prysmian, Exsym Corporation e Viscas Corporation ao pagamento de multas no valor total de R$ 20,5 milhões. Às três pessoas físicas foi aplicado o montante de R$ 400 mil em multas.

Com relação à empresa ABB e outras três pessoas físicas investigadas por participação no cartel, o Cade determinou o arquivamento do processo em razão do cumprimento integral dos respectivos Termos de Compromisso de Cessação (TCC). Pelos acordos celebrados com a autarquia, os signatários se comprometeram a encerrar as práticas investigadas e a pagar R$1,6 milhão, no total, a título de contribuição pecuniária. O processo também foi arquivado em relação às empresas LS Cable e Taihan Eletric por insuficiência de provas.

Com o julgamento final do caso, o Tribunal do Cade decretou a extinção da pretensão punitiva da Administração Pública em favor das empresas Sumitomo Eletric Industries Limited, Hitachi CableLtd, e J Power Systems, em razão do cumprimento integral das obrigações do acordo de leniência. O Plenário do Cade determinou ainda o envio da decisão para o Ministério Público Federal no Estado de São Paulo.


Cloud Computing
Algar Telecom avança na oferta de PABX na nuvem

Solução, desenhada sob medida em parceria com a Digivox, reúne em uma única plataforma todas as funcionalidades de comunicação interna e atendimento a clientes de qualquer porte.

ARTIGO . Por Melissa Torgbi

Cientista de dados: seja curioso, se envolva e tenha muita disposição para resolver problemas

Há muita empolgação acerca do termo “ciência de dados” atualmente. Para nós que queremos ser cientistas de dados, há alguns requisitos. Um deles: ter muita, mas muita vontade de aprender o tempo todo.

Unicórnio brasileiro avança operações de pagamento para décimo país

Ebanx anunciou que também vai processar pagamentos no Uruguai. "Unicórnio" com mais de US$ 1 bi, empresa está também no México, Colômbia, Argentina, Chile, Peru, Bolívia, Equador e Uruguai, além do Brasil.

Finplace amplia em mais de 200% a oferta de crédito para PMEs

Criada no final do ano passado, a plataforma já movimentou mais de R$ 50 milhões e contabiliza 108 financiadores e uma carteira com mais de 500 clientes.

No Brasil, 65% das empresas estão bem longe das regras da LGPD

Índice LGPD ABES mostra ainda que 40% das companhias brasileiras sofreram incidentes de violação nos últimos dois anos e 80% assumem que fazem, sim, coleta de dados sigilosos. "Não há mais tempo a perder", adverte o consultor da EY, Marcos Sêmola.

Positivo Tecnologia: "Falta PC para vender no varejo"

Tês meses depois da pandemia, a demanda por PCs aumentou mais de 50% no mercado nacional. “Seguramos a produção por precaução, e, agora, faltam alguns produtos para atender ao varejo", diz Norberto Maraschin Filho, vice-presidente de Negócios de Consumo e Mobilidade da Positivo Tecnologia.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G