Vivo investe em franquia para expandir rede de fibra ótica no Brasil

Ana Paula Lobo* ... 04/11/2019 ... Convergência Digital

O FTTH (fiber to the home) é tão estratégico para a Vivo que a companhia anunciou nesta segunda-feira, 04/11, em teleconferência de resultados, dois modelos para a expansão da cobertura de fibra ótica até a residência. O primeiro passa por uma parceria com a gestora de infraestrutura American Tower, que entra com os investimentos no ativo fibra e a Vivo entra com a oferta comercial e os equipamentos disponibilizados na casa do cliente.

Acordo é estratégico especialmente em Minas Gerais, onde a American Tower adquiriu os ativos da Cemig Telecom e poderá chegar a 800 mil home passed em 40 cidades do estado mineiro. Vale lembrar que a Vero, empresa de Internet, é hoje a maior detentora de infraestrutura ótica em Minas Gerais, superando Vivo e Oi. "Seremos capazes de fazer o deployment de fibra com menos impacto no capex e menor time to market", observou o presidente da Vivo, Christian Gebara. O executivo explicou ainda que o "plano fornecerá uma proteção da forte posição móvel em Minas Gerais através da convergência".

O segundo modelo prevê o franqueamento da expansão FTTH. Como franqueadora, a Vivo oferece todo o conhecimento técnico na implementação de uma rede de fibra, e experiência na comercialização de seus produtos e serviços. O franqueado passa a utilizar toda capacidade técnica da empresa, bem como a força da marca e qualidade da Vivo Fibra (banda larga de ultravelocidade). Esse novo modelo de negócio chega ao mercado como Terra conectado por Vivo Fibra. A escolha pelo Terra para liderar essa expansão, se deu pelo poder e relação que a marca tem com internet e tecnologia há mais de vinte anos.

O projeto foca em cidades de 20 mil a 50 mil habitantes, e também municípios ou bairros periféricos de grandes centros urbanos. Com a iniciativa, a Vivo pode somar mais de 1 milhão de domicílios cobertos com fibra, pelos franqueados, aos 15 milhões já previstos pela expansão própria da companhia, até o final de 2021. Atualmente, a Vivo segue com cerca de 10 milhões de domicílios cobertos, em 154 cidades espalhadas em todo país.

A Telefônica, além da marca Terra conectado por Vivo Fibra, oferecerá aos franqueados uma série de processos ágeis, treinamentos gerenciais e técnicos, acesso a fornecedores habilitados com preços diferenciados, call center central único, topologia de rede garantindo estabilidade e escalabilidade, saída de Internet (circuitos IP e ponto de conexão com a rede da Telefônica para acesso à Internet), e 115 mil kms de backbone nacional. O franqueado será responsável pelo desenvolvimento de toda infraestrutura de rede necessária, bem como a gestão da operação, incluindo vendas, atendimento e instalação. A rede de fibra ótica da Vivo está presente em 154 cidades do País.

Para se tornar um franqueado, o investidor passará por algumas etapas normais de um processo de franchising, como envio de propostas, simulações financeiras, testes de aptidão, etc, e investimento mínimo de R$ 2,5 milhões, com payback estimado em 4 anos, com Taxa Interna de Retorno de aproximadamente de 30%, e contrato de 120 meses renováveis. Para mais detalhes e inscrição, o investidor deve acessar: http://www.terrafibra.com.br/seja-um-franqueado/

A expansão com este novo modelo de negócio terá início em 20 de novembro, na cidade Águas Lindas de Goiás, no interior do estado de Goiás, com cerca de 80% de cobertura do município. A expansão continua no início do próximo ano, com mais duas cidades no Centro-Oeste, além de um cronograma de expansão que prevê cerca de 500 localidades para os próximos três anos.

*Com press release da Vivo


Internet Móvel 3G 4G
Huawei dá o troco e Qualcomm alerta para o risco dos EUA perder muito dinheiro

Em documentos ao governo dos EUA, a fabricante adverte que o bloqueio não vai impedir acesso da fabricante à tecnologia de ponta, mas sim prejudicar os fornecedores americanos, inclusive, no 5G. Huawei já avisou que Mate 40 será último com chip Kirin.

Anatel recria 10 colegiados após extinção por Decreto presidencial

Uso do Espectro, Defesa dos Usuários, Prestadoras de Pequeno Porte, Aferição da Qualidade, Ofertas de Atacado, Acompanhamento de Redes são alguns dos grupos reestabelecidos pela agência. 

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G