4G LTE faz Neoenergia avaliar 5G para missão crítica no Brasil

Por Ana Paula Lobo e Pedro Costa ... 17/07/2020 ... Convergência Digital

A transformação digital da Neoenergia no Brasil virou um exemplo para o grupo Iberdrola no mundo. Tanto que o projeto 4G LTE privado, que entrará em pleno funcionamento ainda este mês, quando será iniciada a operação da última das seis torres na região de Atibaia, em São Paulo, está servindo de piloto para todas as distribuidoras do grupo, conta em entrevista ao Convergência Digital, o superintendente de Smart Grids da Neoenergia, Heron Fontana.

O 4G LTE privado não funciona como a principal rede para as atividades da Neoenergia, e sim como backhaul, infraestrutura para agrupar os dados e enviá-los para os escritórios da distribuidora, em Atibaia ou em Campinas. O uso da rede 4G beneficiará inicialmente os 75 mil consumidores da Neoenergia, por meio da distribuidora Elektro, nas cidades de Atibaia, Bom Jesus dos Perdões e Nazaré Paulista. A distribuidora teve autorização da Anatel para fazer o projeto em 3,5GHz.

"O 3,5GHz é bom? ele foi uma oportunidade. Mas o nosso interessante é maior nas faixas subgiga, por conta do serviço de missão crítica", aponta Fontana. O executivo também adianta que vai avaliar como será o leilão do LTE privado no 4G e não descarta a possibilidade de compartilhar sites, acesso, torre e frequência com as operadoras.Sobre o leilão 5G, Fontana diz que vai avaliar, principalmente, se houver o espectro dedicado. "A baixa latência é essencial nos projetos para ter serviços em tempo real".

O executivo fala ainda da possível massificação, enfim, dos medidores inteligentes e argumenta que eles são cruciais. "Nao há veículo elétrico sem medidor inteligente, sem rede de baixa latência", exemplifica Fontana. Também conta o impacto do projeto SISCON, que está mudando o coração da rede da Neoenergia.

"É como trocar o ERP da companhia com ela funcionando e numa pandemia", ressalta. A iniciativa vai envolver o novo Sistema de Controle da empresa, unindo tecnologia e mudança de processos para aprimorar a gestão das redes elétricas de suas concessionárias – Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP/MS) –, beneficiando mais de 14 milhões de clientes.  Fontana também fala do uso do WiMAX, em Fernando de Noronha, e da implantação de rede de fibra ótica própria no Recife e no Guarujá. Assistam a entrevista com o superintendente de smart grids da Neoenergia.


Relator no Senado propõe desoneração de IoT e VSats sem mudar texto da Câmara

Relator do PL 6549/19 na CCT, senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO) sustenta que isenção de Fistel, Condecine e CFRP vai, na prática, aumentar a arrecadação . “Ganho líquido na arrecadação será de R$ 2,9 bilhões”, afirma. 

Empate suspende decisão do STF sobre desbloqueio de celular em 24 horas

Operadoras questionam no Supremo uma lei do Rio de Janeiro que determina o desbloqueio da linha 24 horas após quitação de dívida. Placar está em 5 a 5. 

Para Oi, assinatura básica teria que ser acima de R$ 100 para pagar concessão

Presidente da Oi, Rodrigo Abreu, diz que a pandemia foi ruim para o setor e que a busca pelo equilíbrio é fundamental. “O ‘break even’ seria mais caro que um pacote básico de banda larga."

Copel Telecom marca privatização para novembro e quer R$ 1,4 bilhão

Edital de venda do braço de telecomunicações da estatal paranaense de energia é previsto para 21/9. Empresa tem 34 mil km de fibras em 399 municípios. 

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G