Clicky

Convergência Digital - Home

Governo digital: qualidade do serviço passa pela integração dos dados

Convergência Digital
Ana Paula Lobo e Pedro Costa - 07/08/2020

O cidadão conectado quer os serviços digitais do governo e vai exigir a qualidade dos produtos privados disponíveis no mercado, afirma o VP de serviços públicos da Oracle Brasil, Rodrigo solon Chaves. Segundo ele, para suportar a grande digitalização, o governo terá de investir em uma infraestrutura robusta de TI e fazer valer o conceito de 'cloud first' para evitar gastos além da necessidade.

A pandemia de Covid-19, observa o executivo, acelerou a experiência digital e muito por conta dos serviços públicos, mas há muito por fazer para garantir a qualidade do produto ao cidadão. "Se o cidadão tiver uma experiência ruim na emissão de um documento digital, ele vai buscar o presencial. Tem de funcionar muito bem para conquistar a confiança", relata Solon Chaves.

Um dos pontos relevantes é o governo entender que o cidadão será um consumidor exigente. "A infraestrutura do governo precisa estar bem preparada. É importantíssimo que o governo tenha uma infraestrutura conectada, com dados interoperáveis, porque eles estão espalhados em diferentes órgãos, e preparada para um serviço de escala gigantesca. Não são 10 mil, 20 mil usuários, mas toda uma população a ser atendida", ressalta.

O tema cidadão conectado e serviços públicos será tratado em evento da Oracle, a ser realizado no dia 11 de agosto, e que terá a participação do especialista em tecnologia, advogado e professor, Ronaldo Lemos. O evento também a participação de órgãos públicos que vão contar as suas etapas na digitalização dos serviços ao cidadão.

Conectividade passa e muito pelo uso cada vez maior da nuvem e uma das ações necessárias no Brasil é ampliar a interoperabilidade das bases governamentais - federal, estadual e municipal. "É determinante que as bases de dados se falem de forma efetiva, só assim se terá a qualidade do serviço desejada pelo cidadão conectado, que quer ter o seu problema resolvido", reforça Solon Chaves.

“A nuvem veio para resolver o aspecto da escala conforme a necessidade. Veja o caso do Imposto de Renda. Na época da declaração, de março até abril, o Serpro tinha que disponibilizar uma quantidade enorme de servidores para suportar a carga. Mas durante todos os outros meses essa estrutura estava ociosa. Com a nuvem você escala conforme a necessidade. Precisou de mais processamento, a nuvem fornece. E isso serve para todos os serviços. Imagine o Auxílio Emergencial. A nuvem dá tranquilidade de que é possível entregar para o cidadão com facilidade", adiciona o VP de Serviços Públicos da Oracle Brasil.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Diversidade e Ciência de Dados: um desafio ao Brasil

Mais mulheres precisam ocupar carreiras em Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática pelo bem do País, incentiva a embaixadora da Women in Data Science da USP (WiDS @USP), Renata Sousa.

Destaques
Destaques

Palo Alto: É um erro enorme repetir o passado e não tornar a nuvem aberta de verdade

"A nuvem tem de ser aberta, multicloud e não ter complexidade para os sistemas se falarem. Fizemos isso lá trás e foi um prejuízo. Não podemos errar porque nuvem é crucial no 5G", adverte Marcos Oliveira, diretor geral da Palo Alto Networks no Brasil. A empresa aposta suas fichas no 5G e num novo desenho para o mercado de segurança de redes.

Nuvem exige plano A, plano B e erra quem não faz recuperação de desastre

A nuvem não é proteção por si só e exige muito planejamento das empresas, afirmam especialistas de segurança da informação. Para o CISO da RNP, Emilio Nakamura, contingência e resiliência são obrigações. "Ser rápido num incidente é o relevante porque não existem sistemas 100% seguros".



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site