NEGÓCIOS

CEO da SAP: "A Covid-19 mudou a forma de fazer negócio, de consumir e de vender serviços"

Por Suzana Liskauskas* ... 16/06/2020 ... Convergência Digital

Em meio a desafios de fechar escritórios e proteger a saúde dos colaboradores, o mundo dos negócios vem descobrindo novas formas de manter a operação nos trilhos e garantir a produtividade. Durante coletiva de imprensa do SAPPHIRE NOW, realizada nesta terça-feira, 16/06, o CEO da SAP, Christian Klein, disse que o forma como o mundo dos negócios e do trabalho vai mudar. Para Klein, uma das maiores lições do período é a reliência.

“Um dos maiores ensinamentos desse momento em que a transformação não é mais opção, mas realidade, é que as empresas não deverão focar no aumento de competividade, mas na capacidade de se tornarem mais resilientes”, afirmou.

O CEO da SAP, que priorizou a proteção de colaboradores em todo o mundo, não enxerga mais as pessoas nos escritórios em tempo integral. Ele acredita em uma mudança completa na forma de fazer negócios. “A forma de trabalhar e fazer negócios vai mudar. As tecnologias de comunicação vão complementar os novos meios de fazer negócios. A forma como vamos consumir, vender produtos e serviços vão se transformar e as empresas têm de estar preparadas”, reforçou Klein.

O executivo afirmou ainda que a SAP está interessada, sobretudo, em parceiros que tragam novas ideias. Esse é um dos caminhos apontados por Klein para aumentar receita e participação no mercado. Ele não descarta nenhuma forma de parceria. Diz que a SAP acomoda muito bem desde parcerias com grandes empresas, como a realizada com IBM na indústria de cloud, a startups com potencial de se transforarem em unicórnios.

“Temos 400 mil clientes e precisamos de parceria para desenvolver soluções que atendam a necessidade de cada um deles. Muitas vezes, bem específicas, como no caso da cadeia de suprimento e dos setores de finanças e logística. Buscamos parcerias que sejam boas não apenas para a SAP, precisam ser produtivas para ambos os envolvidos”, completou.


Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Serpro busca parceria com bancos para emissão de certificado digital

Chamamento público espera identificar oportunidades de negócios que fomentem a massificação das assinaturas digitais. 

Acesso Digital recebe aporte e entra na briga pelo mercado de Telecom

Empresa, criada em 2007, trabalha com reconhecimento facial e assinatura eletrônica, recebeu um investimento de R$ 580 milhões liderado por SoftBank e General Atlantic.

iFood compra SiteMercado e avança em entregas de mercadorias

Portal reúne vendedores em 476 cidades de 24 Estados do país. Valor do negócio não foi revelado.

PMEs do Brasil estão longe da maturidade digital

Estudo indica que 51% dos pequenos negócios estão em fase inicial de digitalização, o que deixa o Brasil na 18ª posição global nesse tipo de avaliação. Levantamento projeta que até US$ 9 bilhões, ou quase R$ 50 bilhões, podem



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G