INCLUSÃO DIGITAL

Google desiste de serviço de Wi-Fi gratuito. Brasil é afetado

Ana Paula Lobo* ... 18/02/2020 ... Convergência Digital

A Google anunciou o fim do Google Station, programa que disponibiliza conexão Wi-Fi em estações de trem e metrô de países em desenvolvimento. O projeto era integrante da iniciativa Next Billion Users, na qual a empresa buscava soluções alternativas de uso de internet em locais cuja conexão era instável. Versões mais leves dos apps (como o Google Go e YouTube Go) e recursos off-line (como o presente no Maps) estão embaixo desse guarda-chuva.

Lançado na Índia em 2015, o 'Station' foi expandido para países como México, Tailândia, Nigéria, Filipinas e Vietnã, chegando ao Brasil em junho de 2019. Na época, a empresa informou que mais de 10 milhões de usuários utilizam o serviço de forma ativa. O programa foi escolhido para ser a plataforma de monetização da iniciativa Wi-Fi Livre do governo de São Paulo.

Em comunicado publicado em blog oficial, a Google informou que "os desafios impostos por diversos requisitos técnicos nos diferentes países tornaram difícil a nossa missão de escalar e tornar o projeto sustentável, especialmente, para nossos parceiros". Outro ponto levantado pela empresa foi a redução nos preços de pacotes de dados, o que aumentaria o acesso à internet.

A Google também informou em sua postagem que o programa será interrompido de forma gradual ao longo de 2020 e que está “trabalhando com nossos parceiros brasileiros em um plano de transição do serviço e continuaremos dando suporte a eles e aos usuários até o fim do ano."


MPF recomenda que instituto cancele compra de MacBooks de R$ 12 mil e use PCs mais baratos

Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Norte (IFRN) quer 20 notebooks da Apple para o setor administrativo, em custo superior a R$ 250 mil. MPF diz que licitação deve incluir outras marcas. 

Covid-19 aumentou o uso da internet nas classes C, D e E

Segundo a pesquisa TIC Covid-19, do Cetic.br, a pandemia aumentou o uso da rede em todas as classes e faixas etárias. O que já era hábito entre os mais ricos, passou a ser mais comum entre os mais pobres para compras e serviços.

Bemol quer Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E para levar banda larga para quem não tem nem 3G

Varejista com atuação na região norte do País tem planos de expandir sua infraestrutura para mais cidades, mas conta com a frequência não licenciada, diz o gerente de TI, Jesaias Arruda.

Saúde pública padece de acesso à Internet e de segurança de dados

Processo de levar acesso à Internet para as Unidades Básicas de Saúde(UBS) não avança e apenas 23% delas disponibilizam agendamento de consultas pela Internet. Nas unidades privadas, o atendimento online está em 100% do segmento. Diferença é evidente na comparação do Norte e Nordeste com o Sul e Sudeste.

Escolas viram telecentros para quem não tem acesso à Internet

Maior parte dos usuários vai para fazer pesquisa escolar e digitar currículos ou outros documentos. Conexão à Internet melhorou, mas a maioria tem conexão entre 1 Mpbs até 5 Mbps.

MEC exige energia elétrica nas escolas para levar banda larga

Escolas precisam também estar  em área de cobertura terrestre ou via satélite, e ter mais de 14 matrículas em 2020. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G