Home - Convergência Digital

Startups de Curitiba têm vagas para 150 programadores

Convergência Digital* - 22/08/2019

As startups de Curitiba estão com 150 vagas em aberto para programadores. No ano passado, um ranking elaborado pelo Movimento 100 Open Startups indicou que das 100 startups mais atraentes para o mercado em 2018, dez são da capital paranaense.

A VHSYS, startup de gestão empresarial em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, é uma das empresas em busca de talentos da área tech. Neste ano, a empresa vai quadruplicar o quadro de funcionários na área de desenvolvimento. "Há uma disputa muito grande por esses profissionais no mercado. Isso acaba resultando em menos desenvolvedores disponíveis", explica Jenifer Turra, analista de recursos humanos da VHSYS.
 
Ao contrário das vagas tradicionais para as quais os candidatos enviam currículos, são as startups que tentam "vender o peixe" para atrair os desenvolvedores, em buscas ativas. Na caça por profissionais, as startups não se restringem à localização de suas sedes. "Para a gente conseguir alcançar os desenvolvedores, acabamos olhando para o Brasil inteiro", diz Jenifer.
 
Na startup curitibana MadeiraMadeira, grande parte dos 120 desenvolvedores vem de outras cidades e estados. "Os profissionais buscam Curitiba não só pelas oportunidades, mas principalmente pela qualidade de vida. Nossos desenvolvedores sempre comentam que é um ambiente para o qual gostariam de trazer a família. Os deslocamentos aqui não são tão longos quanto em São Paulo, por exemplo", conta Marjorie Fernandes, analista de pessoas e cultura da startup. Atualmente, a MadeiraMadeira tem 25 vagas abertas para
desenvolvedores.

Perfil do profissional

Maurício Lang, coordenador de desenvolvimento da VHSYS, revela os principais requisitos que as startups buscam nos profissionais. "Ter conhecimento sobre as linguagens usadas na empresa faz diferença, porque as startups estão em um ritmo de aceleração muito grande e precisam de um time com experiência." E complementa: "Ser apaixonado por programação já é meio caminho andado".

Na startup Ideia no Ar, que tem duas vagas abertas para desenvolvedor, o perfil empreendedor é um diferencial. "Precisamos de profissionais auto gerenciáveis. Diferente de outras startups em que um time com dezenas de pessoas trabalha em um produto, na nossa empresa um único desenvolvedor trabalha em um projeto. Ele deve ter uma pegada de empreendedorismo, pois será dono do produto também", explica Thiago Alves, sócio gestor da empresa curitibana de softwares.

Vagas em aberto

No EBANX, fintech sediada em Curitiba e que processa pagamentos para empresas globais como Spotify, Airbnb e AliExpress, há 70 vagas em aberto — a maioria delas na área de desenvolvimento e tecnologia. O número representa uma expansão de mais de 10% no atual quadro de funcionários, composto por cerca de 500 pessoas, em dez países diferentes. A busca por pessoal qualificado exige táticas e estratégias incomuns em outros setores. O EBANX tem seis recrutadores, que fazem uma busca ativa de potenciais candidatos nas redes sociais, em hackatons e outros eventos de tecnologia e nas
universidades.

O processo seletivo começa com uma prova técnica feita pela internet, que testa conhecimentos de lógica e programação e, já na largada, elimina até 80% dos candidatos. "Nós buscamos gente que tenha uma curiosidade tecnológica aguçada, que não fique restrito a apenas uma linguagem de programação e que busque se atualizar sempre", diz André Boaventura, sócio e diretor de marketing do EBANX. "Nós vamos querer saber onde o candidato consome conteúdo sobre sua área, qual foi o último curso que fez. Graduação não é exigência, mas curiosidade e aprimoramento constantes, sim."
 
Em busca de mão de obra qualificada, o EBANX também qualificou o processo de seleção para as vagas de estágio, por meio de um sistema de gameficação — com o objetivo de engajar mais os estudantes no processo. Além disso, implementou um programa de formação para estagiários, com cursos que focam no aprimoramento profissional, com mentores de dentro e de fora do EBANX, para aumentar a retenção de talentos ainda na fase de formação.

A startup curitibana Contabilizei, que presta serviços de contabilidade online para micro e pequenas empresas, também busca desenvolvedores com qualificações que extrapolam a formação tecnológica. "Procuramos profissionais que tenham capacidade de resolver problemas e um ótimo raciocínio lógico, pessoas com perfil empreendedor, que gostem de desafios e de atuar com autonomia, além de não aceitar respostas óbvias", diz Denise Barbosa, diretora de RH da empresa.
 
No Olist, um acelerador de vendas para lojas online e físicas, com sede na capital paranaense, serão abertas 30 vagas de desenvolvimento até o fim deste ano. Segundo Giovana Guimarães Piazzetta, business partner de tecnologia da empresa, o maior desafio é encontrar desenvolvedores com a qualificação técnica necessária. No ano passado, o Olist fez mais de 1000 abordagens com potenciais candidatos, mas apenas 36 destes foram
contratados. "Buscamos profissionais com experiência em programação em Python, que geralmente não é ensinada na faculdade, mas que está se popularizando muito no mundo todo", explica Giovana.

Já a fintech curitibana Juno tem mais de 10 vagas abertas para desenvolvimento. "Estamos em crescimento, e a partir do momento em que queremos lançar novos produtos, precisamos de novos profissionais em nosso time", afirma Caroline Rissio, recrutadora tech da empresa. Segunda ela, é preciso encantar os candidatos e trabalhar de maneira constante para reter os talentos. "Priorizamos a qualidade de vida dos profissionais. Além disso, focamos muito em tecnologia. Hoje temos um código limpo, com cobertura de testes de 98%. Na nossa plataforma quase não existem bugs, e os olhos dos desenvolvedores brilham por isso."

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

06/07/2020
Governo de SP e startup abrem 50 mil bolsas de estudo gratuitas para cursos de programação

26/05/2020
Carrefour vai qualificar gratuitamente 25 mil profissonais de TI

22/05/2020
Santander Coders oferece 240 bolsas para desenvolvimento mobile

15/05/2020
Mais de 10 mil mulheres estão inscritas para o Santander Coders

15/04/2020
Pandemia de Covid-19 promove uma corrida por programadores em Cobol

25/03/2020
Instituto TIM oferece cursos online e gratuitos para capacitação

28/01/2020
TypeScript, Go, Kotlin: qual dessas você quer usar para programar?

23/01/2020
SESI/São Paulo incorpora programação e robótica à grade curricular

16/01/2020
Parceria oferece 100 mil vagas gratuitas em cursos de programação

12/12/2019
Escola de programação no Brasil só cobra depois do aluno receber o primeiro salário

ARTIGO . Por Melissa Torgbi

Cientista de dados: seja curioso, se envolva e tenha muita disposição para resolver problemas

Há muita empolgação acerca do termo “ciência de dados” atualmente. Para nós que queremos ser cientistas de dados, há alguns requisitos. Um deles: ter muita, mas muita vontade de aprender o tempo todo.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Seis dicas para formar uma equipe de trabalho resiliente

or Craig Mackereth*

Formar uma equipe ou força de trabalho resiliente não é tarefa que se execute da noite para o dia. Tampouco é possível tornar uma equipe verdadeiramente resiliente se isso ainda não estiver integrado ao DNA da empresa.

Destaques
Destaques

TRT/SP rejeita cautelar das empresas de TI e cobra Convenção Coletiva 2020

O desembargador e vice-presidente judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 2 Região, Rafael Edson Pugliese Ribeiro, em despacho, alerta que a falta de renovação da Convenção Coletiva 'é a falência do diálogo'. Convergência Digital publica a íntegra da decisão.

Microsoft muda alto escalão da AL e fica à espera de Rodrigo Kede,em litígio com a IBM

O presidente para a AL da Microsoft, Cesar Cernuda, e a brasileira Paulo Bellizia, vice-presidente de Vendas, Marketing e Operações para a região, oficializaram a saída da empresa. A computação em nuvem é pano de fundo no embate entre as gigantes.

Gestor de Tecnologia foi repaginado pela Covid-19

Os responsáveis por compliance, por digitalização e por suppy chain foram reconhecidos e estão à frente das ações das empresas e passaram a ter acento nos comitês de liderança, afirma o consultor da Russell Reynolds Associates, Márcio Gadaleta.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site