TELECOM

Smartphone, vídeo online e aplicativos mudam cálculo da inflação no Brasil

Convergência Digital ... 14/10/2019 ... Convergência Digital

Diretamente associadas aos hábitos de consumo modernos, as telecomunicações ganharam maior relevância na forma como o IBGE mede a variação de preços no Brasil. Conserto de celular, streaming, combo banda larga, TV paga e telefonia, assim como aplicativos de transporte estão entre os 56 novos itens da cesta analisada na composição do IPCA, o índice oficial de inflação no Brasil. 

Como destaca o instituto, os produtos e serviços de alta tecnologia são algumas das tendências de consumo que entram na análise, e que se refletem também em itens que deixam de ser considerados. A disseminação da internet e dos próprios smartphones ajuda a entender porque o IBGE não vai mais incluir os preços de aparelhos de DVD, máquinas fotográficas ou revelação de fotos na conta do IPCA. 

A lista total inclui 377 produtos e serviços. Com as mudanças, o próprio peso do item ‘Comunicação’ foi alterado, passando de 5,5% para 6,1% do índice de preços. Como mostra o IBGE, combo de telefonia, internet e TV por assinatura passa a ser um item importante (1,81%), assim como os serviços de streaming (0,08%) e conserto de aparelho celular (0,07%). 

O item ‘Transportes’, que passa a ter o maior peso total (20,8%), inclui também serviços diretamente viabilizados pela disseminação de celulares conectados, como é o caso do transporte por aplicativo, com peso de 0,21%. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo brange 16 áreas e reflete a cesta de consumo das famílias com rendimento mensal de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte dos rendimentos.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Aloo Telecom: Brasil precisa de um cadastro único de redes de fibra ótica

O crescimento das redes de fibra ótica é desorganizado e faltam informações disponíveis para definir onde investir e maximizar os recursos, afirma o CEO da operadora, Felipe Cansanção. Aloo Telecom analisa a participação no leilão 5G. "Nunca se vendeu tanta capacidade de espectro", adiciona o CEO.

Ufinet, da Enel, entra no mercado de rede neutra no Brasil

Chairman da empresa, Stefano Lorenzi,  assegura que Ufinet não terá vantagem no uso dos postes por ter a distribuidora elétrica como uma das acionistas. "Vamos competir igual com os outros", diz.

Falta um orquestrador para resolver o conflito do uso dos postes

"Não é falta de lei. Não é falta de resolução. É falta de agenda prioritária. Falta uma orquestração efetiva para se tentar resolver o problema", diz o diretor de estratégia e regulatório da Algar Telecom, Renato Paschoareli.

Abranet: Revisão do marco de telecom tem que abrir espaço para voz no SCM

Entidade diz que a revisão do marco legal de telecom exige uma avaliação do mercado de telefonia no Brasil, com ajustes regulatórios capazes de abrir o segmento aos prestadores de SCM, com recursos de numeração e sistemas de áreas de tarifação nos moldes da telefonia celular.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G