Clicky

Convergência Digital - Home

Gestores de riscos se sentem incapazes de lidar com o vazamento de dados

Convergência Digital
Convergência Digital - 13/12/2019

O estudo Accenture 2019 Global Risk Management Study da Accenture, realizado com cerca de 700 executivos nos setores bancário, de seguros e do mercado de capitais em todo o mundo, elenca os principais fatores de risco e desafios para a gestão financeira frente às novas tecnologias, considerando o cenário de novas e complexas regulamentações, fraudes sofisticadas e ataques cibernéticos.

Alguns dados de destaque da pesquisa são:

• Cerca de 58% dos gerentes de risco entrevistados ​​dizem que os riscos associados às tecnologias disruptivas têm um impacto maior em seus negócios hoje do que há dois anos.

• Já os riscos associados às violações de dados tiveram o segundo maior aumento no impacto percebido: 55% dos executivos relatam aumento.

• 89% dos entrevistados entendem que não são totalmente capazes de avaliar os riscos associados à adoção da IA, 91% e 95% dizem o mesmo sobre a automação de processos robóticos (RPA) e blockchain, respectivamente.

• 72% dos entrevistados ​​dizem que novos riscos complexos e interconectados estão surgindo em um ritmo mais rápido do que sua própria capacidade de acompanhamento.

• Quase três quartos (72%) dos entrevistados disseram que novos riscos complexos e interconectados estão surgindo mais rapidamente do que nunca.

"À medida que o cenário de riscos continua mudando e evoluindo - com uma complexidade crescente na proteção contra violações de dados e na administração de novas ameaças interconectadas - gerentes de riscos precisam se adaptar e adotar novas ferramentas e abordagens, incluindo fontes mais amplas de dados, advanced analytics e IA, mesmo diante de um cenário de crescentes pressões de custo ", disse Steve Culp, diretor executivo sênior na Accenture, que lidera a prática de finanças e riscos da empresa.

Com os vazamentos de dados, muitos dos riscos que as empresas de serviços financeiros enfrentam hoje são multidimensionais e interdependentes, afetando várias partes dos negócios de diferentes maneiras. Como exemplo, concorrentes não tradicionais surgem em um ritmo crescente e usam ferramentas digitais para ganhar participação de mercado de forma rápida. Além disso, criminosos constantemente invocam novas maneiras de lançar ataques cibernéticos.

E as empresas frequentemente precisam gerenciar o potencial de expor vulnerabilidades inesperadas toda vez que experimentam tecnologias novas, mais flexíveis e poderosas, como IA, machine learning e blockchain. De acordo ainda com o relatório, os três principais obstáculos à implementação de advanced analytics em toda a análise de risco são os silos de dados, falta de clareza quanto à regulamentação e desafios de integração com sistemas legados. Por outro lado, os gerentes de risco sabem que precisam melhorar a maneira como coletam e analisam dados para gerar insights úteis.

Por exemplo, quase dois terços (63%) disseram que estão melhorando sua capacidade de coletar dados em toda a empresa e 66% disseram que estão aprimorando sua capacidade de analisá-los. Por fim, o estudo observa a necessidade de obter dados tradicionais mais rapidamente e utilizar novas fontes de dados, incluindo marketing e mídia social, para ajudar a responder a ameaças e agregar valor aos negócios.



Destaques
Destaques

Por que se tornar uma empresa data-driven?

Data-driven ou orientada a dados. É esse o novo lema das companhias que, cada vez mais, estão armazenando e analisando dados em busca de insights de negócios. Mas o que as empresas devem fazer para abraçarem os dados de forma a promover benefícios estruturais e longevos? A resposta não é simples.

TIM une big data,LPA e robôs para controle do pagamento de impostos

Operadora elegeu a inteligência artificial para processar grandes e complexos volumes de dados com o SAS e a KPMG. Investimento ficou em torno de US$ 500 mil, ou R$ 2,65 milhões, mas parte dele já foi recuperado em pouco mais de seis meses.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Serviços SaaS, proteção de dados e a LGPD

Por Eder Miranda*

Ter um plano abrangente de proteção adicional de dados para as plataformas SaaS é vital para os negócios, uma vez que as empresas não podem abrir sem ter o controle sobre o que está sendo protegido e sobre a maneira como isso está sendo feito pelos fornecedores de software como serviço.

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site