INTERNET

Autoridade de Dados burocrática vai matar a inteligência artificial

Ana Paula Lobo e Luis Osvaldo Grossmann ... 26/05/2020 ... Convergência Digital

Todo cuidado será pouco com a montagem do quadro diretor e técnico da Autoridade Nacional de Proteção de Dados sob o risco de 'ferrar' o avanço da Inteligência Artificial no Brasil, adverte o professor da Universidade Federal de Goiás, Anderson Soares. Em entrevista ao Convergência Digital em pauta, o especialista foi taxativo: 'muita regulação vai matar a Inteligência Artificial no Brasil. IA precisa de dados para acontecer. Não defendo todos os dados abertos, mas precisamos entender que cercear o acesso aos dados vai bloquear o desenvolvimento da IA".

Soares classifica o texto atual da Lei Geral de Proteção de Dados como 'morno', mas teme que mais à frente, em nome da defesa da privacidade, o desenvolvimento da inteligência artificial venha a ser prejudicado no País. "A nossa Lei foi baseada na GDPR europeia, mas não significa que ela é boa. O europeu pensa diferente do asiático, do norte-americano e do latino. Por definição, o dado tem ser aberto", adiciona.

Polêmico, o professor diz que, hoje, o melhor lugar do mundo para o desenvolvimento de inteligência artificial é a Ásia, em especial a China, uma vez que lá os dados pertencem ao Estado. "É claro que tenho ciência de que o governo é dono por conta do regime, mas a verdade é ao cercear o acesso aos dados com muita regulação, está se bloqueando o desenvolvimento da Inteligencia Artificial".

No caso do premiado caso de uso das Johnson & Johnson, os dados usados foram os financeiros, lembra que foi um caso único, inédito e, por isso, mesmo uma iniciativa brasileira sagrou-se à frente de outras de universidades tracionais como a norte-americana Stanford. "De novo, não defendo todos os dados abertos. Mas não podemos matar a inovação. Não podemos ferrar a Inteligência artificial". Assistam o professor Anderson Soares.


Revista Abranet 31 . maio-julho 2020
Veja a Revista Abranet nº 31
A pandemia da Covid-19 fez a rotina mudar num piscar de olhos. E coube à internet mostrar a sua força. O aumento significativo do tráfego de dados por conta do teletrabalho e do isolamento social foi uma realidade assustadora. Veja a revista completa.
Clique aqui para ver outras edições

Com covid-19, conectividade vira item essencial nas corporações

Digitalização obrigou as empresas a repensarem suas estratégias de conectividade, revela pesquisa com 2000 executivos no Brasil.

Em acordo com TSE, WhatsApp cria chatbot e canal de denúncias para Fake News

Robô vai responder questões relacionadas ao processo eleitoral e ainda esclarecer temas alvo de desinformação. 

Instagram passa Facebook Messenger e está em 81% dos celulares no Brasil

WhatsApp continua como o aplicativo mais popular no país, instalado em 99% dos dispositivos móveis. Telegram cresce e está em 35%. 

LGPD: Anatel cria página para explicar quais dados são coletados de usuários de telecom

Segundo agência, dados podem ser compartilhados com as operadoras quando houver reclamação junto ao regulador, com órgãos públicos ou em ações de órgãos de controle ou juidiciais, para realização de estudos, etc. 

Sebrae e Magazine Luiza planejam treinar 100 mil PMEs para vendas online

Programa oferece cursos de transformação digital e já capacitou 1,5 mil pequenas e médias empresas. Iniciativa abre frente para participação em marketplaces.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G