Convergência Digital - Home

Qintess compra CSC Brasil por Analytics, Ciência de Dados e transformação digital

Convergência Digital
Convergência Digital* - 31/07/2020

A Qintess, resultado da união do Grupo Cimcorp e Resource, anunciou nesta sexta-feira, 31/07, a aquisição de 100% das operações da CSC Brasil, empresa nacional com mais de 30 anos de atividades, e com especialização em soluções de Business Intelligence, Analytics e Machine Learning, de Digitalização e Automação de Processos e de Gerenciamento de Serviços. Os valores da aquisição não foram revelados.

Com a CSC Brasil, a Qintess passa a ser, por exemplo, parceira da DataRobot - plataforma que permite a criação fácil e rápida de modelos preditivos precisos tirando proveito da automação de Machine Learning e com a BMC. Nos últimos anos, a Qintess fez uma série de aquisições, entre elas, Getronics, Sopho e Damovo.

No informe da aquisição, a Qintess diz que a iniciativa é para tornar a empresa, com atuação na América Latina, uma das mais competitivas no processo de transformação digital Um dos primeiros atos da compra é a ativação de uma plataforma chamada Qintess Analytics & Decision Science (QADS), que combinará as soluções de analytics presentes no atual portfólio da Qintess, com as da CSC Brasil.

O objetivo é oferecer aos clientes soluções de consultoria estratégica para tirar o maior proveito dos seus ativos de dados, por meio de soluções de Business Solutions, Data Visualization, Process Mining, Automation, Machine Learning, Deep Learning e Inteligência Artificial.

"Nos preparamos para atuar em diversos aspectos das organizações, quebrando os silos de onde os dados se encontram, habilitando uma cultura data-driven e implementando soluções que vão desde a estruturação de dados, integração, tratamento e saneamento, até a aplicação de práticas de governança", diz Rogério Dias, Chief of Staff da Qintess. A aquisição se soma à estratégia da companhia, que prevê uma taxa média de crescimento de receita de 20% por ano, até 2023. E para 2020, a expectativa é de um incremento de 10% no faturamento.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Destaques
Destaques

Fleury cria empresa baseada em ciência de dados e inteligência artificial

Saúde ID funcionará como um marketplace de serviços ligados à saúde e recebeu investimentos de R$ 50 milhões. O paciente terá todas suas informações de saúde integradas em uma única plataforma, que poderá oferecer às empresas e operadoras um serviço com algoritítimos preditivos.

No Brasil, empresas 'confiam, desconfiando' das multiclouds

Estudo, feito pela F5 com vários países da América Latina, mostra que as organizações têm menos confiança na capacidade da nuvem pública resistir a um ataque hacker voltada às aplicações. Escolha da nuvem é feita aplicação por aplicação.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem privada?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site