Convergência Digital - Home

AWS faz imersão de 48 semanas para formar mão de obra para cloud computing

Convergência Digital
Convergência Digital - 22/07/2020

A Amazon Web Services (AWS) está com 20 vagas abertas para a terceira turma do programa AWS TechU. Voltado para estudantes recém-formados (entre dezembro de 2018 e dezembro de 2021) nos cursos de Ciência da Computação, Engenharia da Computação ou áreas correlatas, o programa tem duração de 48 semanas e possui um currículo imersivo que permite o aprofundamento tanto nas áreas técnicas quanto nas de negócios. Os selecionados pelo programa serão contratados no regime CLT, em período integral, e o início está previsto para janeiro de 2021. As inscrições podem ser feitas pelo o site Jobs Amazon ou pela página da AWS no Linkedin.

Ao longo dos próximos meses, a AWS realizará uma série de eventos virtuais e abertos ao público para discutir os caminhos de uma carreira técnica na companhia e  contar detalhes sobre o programa. Já estão previstos os eventos AWS Tech U: Mulheres na Tecnologia (23 de julho às 14h) e Tech Talk sobre o Programa (31 de julho às 15h).

Além da formação nas áreas já citadas, o canditado interessado deve ter experiência em ao menos uma das seguintes linguagens de programação: Java, Python, Ruby, Node.js, C#, or C++, assim como conhecimentos em segurança, banco de dados (relacionais e NoSQL) e sistemas operacionais, como Unix, Linux e/ou Windows.

O AWS TechU é focado no aprendizado e desenvolvimento dos participantes, que recebem treinamento na plataforma AWS e passam a utilizar alguns dos mais de 175 serviços para computação, armazenamento, banco de dados, networking, analytics, robótica, machine learning e inteligência artificial (IA), Internet das Coisas (IoT), mobile, segurança e desenvolvimento de aplicações da AWS.

Após esse período de imersão, os residentes passam a integrar os times especializados de atendimento aos clientes da companhia, vivenciando na prática funções que eventualmente exercerão ao fim do programa. 


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Destaques
Destaques

Hospital Care vai às compras e reforça transformação digital

Com foco em fusões e aquisições no setor de saúde, a holding vem obtendo inúmeros ganhos de integração e sinergia entre as empresas adquiridas e suas diferentes soluções locais, passando a atuar por meio de um Centro de Serviços Compartilhados que provê serviços corporativos a todas as unidades do grupo. Empresa aposto no SAP S/4HANA.

Natura: sistemas na nuvem foram aliados para enfrentar a Covid-19

O CFO da companhia, José Filippo, disse no SAP NOW 2020, que os sistemas em cloud viabilizaram o trabalho remoto e permitiram acessar a informação de qualquer lugar e hora.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site