Clicky

Home - Convergência Digital

Huawei não pode ser usada para atrasar ainda mais o leilão 5G

Ana Paula Lobo - 06/08/2020

A Qualcomm não tem de participar da discussão sobre a participação ou não da Huawei no mercado de telecomunicações do Brasil, mas o Vice-Presidente de Relações Governamentais da Qualcomm na América Latina, Francisco Soares, afirmou, em coletiva online realizada nesta quinta-feira, 06/08, esperar que o embate sobre a Huawei não sirva apenas para adiar ainda mais o leilão 5G, agora, previsto para o começo de 2021.

"Essa questão é geopolítica e não nos cabe comentar. Mas, sim, nos preocupa que seja usada para retardar ainda mais o processo. O Brasil tem a chance de estar sem gap no desenvolvimento e no uso da nova tecnologia. Se atrasar muito o leilão, vamos ficar com diferença em relação a outros países", observou Soares. Ele também criticou o adiamento do leilão por conta da mitigação da interferência da banda C nas antenas parabólicas.

"Essa é uma questão de engenharia e há soluções técnicas melhores do que os filtros que estão sendo reivindicados. Sou favorável a colocar os serviços da faixa de 3,5GHz na banda Ku, na faixa de 15 a 18 GHz. O problema estaria resolvido", pontuou Soares.

Hélio Oyama, diretor de Desenvolvimento de Negócios da Qualcomm, lembrou que a própria China é um exemplo do impacto do 5G. O país lançou o 5G no final do ano passado e já soma mais de 100 milhões de conexões ativas. Em maio, mesmo com a pandemia, as vendas de celulares já eram 50% com o 5G. Hoje já existem 375 dispositivos disponíveis para o 5G e esse número só tende a aumentar com a expressiva adesão de fabricantes chineses. "A competição massifica e reduz preço para o consumidor", completa Oyama.







Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

27/11/2020
Teles: restrição a fornecedores é um risco ao 5G e aos consumidores

26/11/2020
Palo Alto: É um erro enorme repetir o passado e não tornar a nuvem aberta de verdade

24/11/2020
Leilão 5G: Embaixada da China reage forte contra filho do presidente Jair Bolsonaro

24/11/2020
Minicom se diz cobrado por Bolsonaro para fazer o leilão 5G

24/11/2020
Highline compra Phoenix Tower e passa a deter 3,2 mil torres no Brasil

19/11/2020
Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

18/11/2020
Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

17/11/2020
TBNet fecha parceria com tele para transformar 23 mil ATMs em hotspots Wi-Fi 5G

16/11/2020
EUA autorizam Qualcomm a exportar chips 4G para Huawei, mas proíbe o 5G

13/11/2020
Oi avalia 5G para usar 3,5 GHz em banda larga fixa

Destaques
Destaques

Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

"Não há como fazer obrigação em cibersegurança. O ambiente tem de ser cooperativo e não é apenas com as teles. São mais de 10 mil pequenos prestadores de serviços e eles têm de estar ativos. Temos de ter uma coordenação entre todos os atores", disse o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, Nilo Pasquali.

Aos 23 anos, Anatel lista 5G como próximo desafio

“Entre os desafios que nos aguardam, a economia brasileira precisa ter sua digitalização aprofundada, a conectividade precisa se tornar mais real na vida dos brasileiros”, destacou o presidente da agência, Leonardo de Morais, também ressaltando a segurança cibernética e renovação das concessões em 2025.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

IoT e os novos negócios e aplicações para o mercado de energia

Por Pedro Al Shara*

Analistas de mercado estimam que o impacto da Internet das Coisas na economia alcance de 4% a 11% do Produto Interno Bruto do planeta em 2025.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site