Clicky

Convergência Digital - Home

Armazenamento por serviço: um mercado em alta com privacidade de dados

Convergência Digital
Da redação - 08/07/2020

A demanda do consumo flexível de ofertas de infraestrutura local e infraestrutura como serviço (IaaS) vai crescer 10% em 2021,revela a IDC, em estudo patrocinado pela Zadara, provedora de serviços na nuvem. Segundo a consultoria, o mercado tem o desejo de combinar os benefícios da nuvem pública com a segurança da infraestrutura local, mas também terá de se adequar às novas regras de conformidade, como a imposta pela SEC norte-americana, equivalente a nossa CVM, ao determinar que equipamentos alugados sejam incluídos nos balanços patrimoniais das empresas de capital aberto.

Os dados do Global StorageSphere da IDC mostram que a base instalada de capacidade de armazenamento deve crescer 18,4% ao ano entre 2018 a 2023, o que resultará em uma base instalada de capacidade de armazenamento de 11,7 ZB em 2023, em comparação com 5,0 ZB apurados em 2018, mais do que dobrando durante o período da previsão.

A consultoria observa que a percepção sobre dados armazenados mudou. Até entao entendidos como um mal necessário, com custos e riscos associados, agora, são percebidos como um ativo para ajudar a permitir novos insights sobre avanços tecnológicos, novos produtos ou serviços, geração de receita, aprimoramentos na produtividade e otimização de custos. A questão, adverte a IDC, é que esses dados são diversos e complexos e, em muitos casos, exigem ferramentas e habilidades avançadas para obter os insights de maneira oportuna eeconômica.

Quem também vai mudar esse mercado são as legislações de proteção de dados pessoais. As regras de conformidade como a GDPR na Europa, a Lei de Privacidade do Consumidor da Califórnia, de 1º de janeiro de 2020, e a brasileira LGPD, pontua a IDC, vão exigir conformidade às empresas e aportes em governança e segurança dos dados e são oportunidades reais para o incremento da oferta de serviços de armazenamento por serviço e uma nova maneira de fazer negócio com infraestrutura, completa a consultoria.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Diversidade e Ciência de Dados: um desafio ao Brasil

Mais mulheres precisam ocupar carreiras em Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática pelo bem do País, incentiva a embaixadora da Women in Data Science da USP (WiDS @USP), Renata Sousa.

Destaques
Destaques

Palo Alto: É um erro enorme repetir o passado e não tornar a nuvem aberta de verdade

"A nuvem tem de ser aberta, multicloud e não ter complexidade para os sistemas se falarem. Fizemos isso lá trás e foi um prejuízo. Não podemos errar porque nuvem é crucial no 5G", adverte Marcos Oliveira, diretor geral da Palo Alto Networks no Brasil. A empresa aposta suas fichas no 5G e num novo desenho para o mercado de segurança de redes.

Nuvem exige plano A, plano B e erra quem não faz recuperação de desastre

A nuvem não é proteção por si só e exige muito planejamento das empresas, afirmam especialistas de segurança da informação. Para o CISO da RNP, Emilio Nakamura, contingência e resiliência são obrigações. "Ser rápido num incidente é o relevante porque não existem sistemas 100% seguros".



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site