Clicky

GOVERNO

Governo alerta gestão Bolsonaro sobre identidade, nuvem e cruzamento de dados

Luís Osvaldo Grossmann ... 23/11/2018 ... Convergência Digital

Gente, dinheiro, força política e uma estrutura forte estão na receita de transformação digital que o atual governo apresentou à equipe de transição do próximo. O objetivo é seguir adiante com as medidas relacionadas à digitalização dos serviços públicos, o que envolve prioritariamente manter os projetos da nova identidade nacional, a implementação da nuvem pública do governo e o efetivo compartilhamento de dados entre os órgãos federais.

Além de fazerem parte dos documentos encaminhados à equipe de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro, os projetos foram apresentados pessoalmente em reunião na quarta, 21/11, por representantes da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação do Ministério do Planejamento. E mais do que uma lista dos projetos em andamento, o tratamento foi pela necessidade de que sejam garantidos os meios para a continuidade da estratégia digital.

Fazem parte do rol de medidas a definição de uma estrutura forte, com mandato, autonomia e capacidade para liderar a transformação digital de governo, inclusive com a ampliação de competências do Sisp. Além de orçamento, é necessário garantir pessoal, com a projeção de que o número de servidores com as qualificações exigidas para a transformação digital do governo precisa saltar de 5,5 mil para 18 mil.

Paralelamente, há uma clara preocupação com a oferta de infraestrutura de telecomunicações e as competências digitais da população. No primeiro campo, o risco apontado é de que faltem recursos para os investimentos na ampliação das redes fixa e móvel que garantam backhaul de fibra para escoamento do tráfego de dados. No segundo, a importância de ações de alfabetização digital e a oferta de soluções simples para acesso aos serviços públicos. Nas contas da Setic, dos 1749 serviços aos cidadãos, 770 já estariam digitalizados

E é nessa lógica de digitalização que vem o alerta especial a quatro iniciativas. O primeiro é pela consolidação do documento nacional de identificação, totalmente digital e armazenado nos smartphones, sustentado em aplicativo desenvolvido por encomenda do Planejamento e sob a gestão do Tribunal Superior Eleitoral, que detém a base de dados biométricos já de 90 milhões de brasileiros. A questão é a garantia de identificação segura de quem é quem para as transações digitais.

Diretamente associada à oferta dos serviços digitalizados, o segundo alerta é para a conclusão do processo de contratação da empresa integradora dos serviços de nuvem do governo federal. A nuvem é o caminho escolhido para a oferta das aplicações digitais, preferencialmente móveis, sendo que o pregão para o ‘broker’ de nuvem já indicou que a tarefa vai ficar com a Embratel, por meio da subsidiária Primesys. Mas há ainda discussões no governo sobre uma nuvem privada para dados sensíveis.

De onde derivam os demais alertas, sobre a revisão da política de segurança de informação do governo federal, especialmente o Decreto 3505/00, e a implementação de ações relacionadas à segurança cibernética; e finalmente para o avanço do compartilhamento de dados entre os órgãos públicos. Nesse caso, além da atualização do Decreto 8789/16, o objetivo é garantir a troca de dados relevantes, com uma maior adesão à plataforma de interoperabilidade da administração federal, chamada ConectaGov.


Liminar suspende processo de liquidação do Ceitec pelo governo Bolsonaro

Justiça Federal no Rio Grande do Sul acatou pleito em ação civil pública e determinou a suspensão da assembleia que nomearia liquidante da estatal do chip, localizada em Porto Alegre.

Bolsonaro recoloca Jarbas Valente no comando da Telebras

Ex-conselheiro e vice-presidente da Anatel deixou a estatal para ser substituído por Waldemar Gonçalves Ortunho Junior, em abril de 2019, mas, agora, retoma à companhia com a nomeação do coronel para a direção da Agência Nacional de Proteção de Dados.

BNDES vai pagar R$ 8 milhões para preparar a venda do Serpro e da Dataprev

Consórcio vencedor reúne Accenture, a multinacional de RP Burson-Marsteller e o escritório Machado, Meyer, Sendacz, Opice e Falcão Advogados.

Governo alega prejuízo de R$ 10 bi e vai ao STF contra desoneração da folha

Benefício, que acabaria este ano, foi prorrogado para dezembro de 2021, por decisão do Congresso Nacional, que derrubou o veto do governo. A desoneração da folha é considerada essencial para as empresas de TI e Telecom. Governo diz que medida é inconstitucional.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G