NEGÓCIOS

CADE se irrita com postura da IBM com relação à compra da Red Hat no Brasil

Ana Paula Lobo ... 15/07/2019 ... Convergência Digital

A IBM pode levar uma multa de R$ 60 milhões, ou US$ 15 milhões, por não ter respeitado o prazo de aprovação definitiva do CADE para consumar a compra da Red Hat no País. A maior compra da área de software no mundo foi anunciada em outubro do ano passado no montante de US$ 34 bilhões.

Especialistas confirmaram ao Convergência Digital que a IBM descumpriu as etapas de avaliação do CADE e pode ter aberto um precedente perigoso em futuras negociações. Fontes do CADE também informam que o órgão está fazendo uma nova análise da aquisição - o prazo máximo é de 334 dias - para saber se a IBM descumpriu os ritos da legislação brasileira ao consumar a compra sem o aval final do órgão.

Procurada pelo Convergência Digital, a IBM encaminhou uma nota oficial. A companhia destaca que está 'confiante que a finalização do processo atualmente em andamento no CADE não alterará a decisão de liberação incondicional emitida pelo órgão em 25 de junho". Também assegurou que as operações das duas companhias seguem separadas e independentes no mercado. Por fim, sustentam que continuam "a trabalhar com as autoridades brasileiras para resolver qualquer questão pendente o mais rápido possível."

Se punida, a IBM poderá levar a maior multa já aplicada pelo CADE em um caso de desrespeito aos prazos impostos pelo Tribunal. A companhia notificou a compra da Red Hat nos Estados Unidos em outubro, em fevereiro fez a comunicação na Europa e no Brasil, apenas em abril. No começo de junho, a IBM conseguiu uma liberação parcial da transação da Superintendência-Geral da autarquia (SG/Cade). Mas no final do mesmo mês, o Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) avocou, o ato de concentração referente à aquisição do controle societário da Red Hat pela IBM.

Para especialistas, a decisão da IBM de não esperar o CADE pode estar ligado ao fato que a maior multa a ser aplicada responde a apenas 0,05% do valor do negócio e que pode ter sido um 'cálculo de custo/benefício", uma vez que o negócio já está liberado nos Estados Unidos e na Europa e daria uma margem significativa à empresa nos negócios com Open Source corporativo e de nuvem. E também ao fato de o CADE viver um momento de grande instabilidade sem a nomeação de conselheiros pelo governo Bolsonaro.

O CADE poderia, se quisesse, inviabilizar o negócio no Brasil, mas essa seria uma medida extrema, inédita e fora do padrão do órgão. A aplicação da multa máxima é mais realística como punição. O grande senão é dar margem para outras companhias replicarem o modelo. A multa por desrespeito às regras não seria a primeira no Tribunal.

Em 2016, o Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica – Cade determinou às empresas Cisco Systems Inc, e Technicolor S/A o pagamento de R$ 30 milhões pela prática de gun jumping – quando ocorre consumação da operação, cuja notificação o é obrigatória, sem autorização prévia do órgão antitruste. A prática é prevista pelo art. 88, §3º da Lei 12.529/11. No Brasil, a notificação da operação foi considerada completa pela Superintendência-Geral do Cade em 16 de outubro de 2015 e as empresas consumaram a operação em 19 de novembro de 2015, antes de terminar a análise pelo Cade.


Cloud Computing
Oi avança com comunicação unificada na nuvem

Plataforma Oi Cloud Communication une Comunicação Unificada, Central de Atendimento e Omnichannel voltada à digitalização das empresas. Tele fez parceria com Avaya e Alcatel-Lucent Enterprise.

#apoieojornalismoespecializado é prorrogada até 31 de julho

Campanha foi estendida como agradecimento aos apoiadores: ABERT, ABES, Abinee, Abranet, Abratel, Abrint, ABTA, Algar, Assespro, Associação Neo,Brasscom, Brisanet, Cisco, Claro, Commscope, CPQD, Embratel Claro, Ericsson, F5, Feninfra, Fitec, Futurecom 2020, Highline, Huawei, Infobip, Intel, Kryptus, Mercado Livre, mobi2buy, PadTec,
Positivo Tecnologia, NIC.br, Oi, RNP, SAS, SindiTelebrasil, Stefanini,
Surf Telecom, Sky, Take, TelComp, TIM ,  Vero Internet, Viasat, Vivo e WDC Networks. 
A #apoieojornalismoespecializado une os veiculos - Convergência Digital, Mobile Time, Tele.Síntese, Teletime e TI Inside. Participe. Venha fazer parte do time que apoia o jornalismo especializado.

Stone que ir além das 'máquininhas', mas demite 1.300 para enfrentar crise do Covid-19

Empresa de meio de pagamentos quer investir em serviços financeiros e em ferramentas de vendas online. Em abril, a companhia, em parceria com o Grupo Globo, lançou a TON, voltada para trabalhadores autonômos.

Covid-19 fez produção da indústria eletroeletrônica recuar 9,1% em março

Abinee adverte que no mês de abril haverá uma nova queda, provavelmente ainda mais aguda, por conta das medidas de isolamento social.

#apoieojornalismoespecializado

Ação inédita une o Convergência Digital, o Mobile Time, o Tele.síntese, o Teletime e a TI Inside para uma campanha integrada para chamar a atenção para a relevância e o papel do jornalismo especializado setorial. O movimento é para financiar os esforços jornalísticos durante esse período de pandemia de Covid-19. Saiba quais são as empresas que já aderiram à nossa iniciativa e estão ajudando o jornalismo especializado.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G