Clicky

INCLUSÃO DIGITAL

Fibra na Amazônia testa modelo em que governo constrói e setor privado mantém

Luís Osvaldo Grossmann ... 23/02/2021 ... Convergência Digital

Com lançamento do cabo com 24 pares de fibras ópticas estimado para o segundo semestre, o governo federal vai testar um arranjo econômico para a manutenção de uma rede submersa nos rios da Amazônia. Diferente de outras áreas no Executivo, nesse caso a transição é um desembarque da abordagem militar em busca de uma saída comercial. 

Especificamente, o governo vai aportar R$ 83 milhões nos 750 km de fibra para ligar Santarém (PA) a Macapá (AP) por um cabo no leito do Rio Amazonas, além dos contêineres para cinco pontos de presença nesse trajeto e um sistema DWDM inicial, de 40 canais, pronto para uso. Essa rede será transferida à iniciativa privada, a quem caberá assumir os cerca de R$ 4 milhões anuais de manutenção e garantir, sem custo, pelo menos um par de fibra iluminada para o Poder Público. 

O caminho para transferir a infraestrutura a empresas privadas – se por licitação ou pela criação de um consórcio aberto a qualquer interessado – está em consulta até 26/2. Em mais duas ou três semanas, a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa, que já contratou todo o resto, pretende abrir o processo de contratação do lançamento do cabo. 

“Vamos construir a infraestrutura e compartilhar com o setor privado, por meio de um operador neutro para fazer a operação sem que o setor público tenha que gastar com essa parte. A ideia é ter um modelo robusto que possa ser reproduzido nas outras infovias. A consultoria indicou que nesse trecho há negócio. E também no trecho até Manaus. Mas se chegarmos a ir para o trecho de Tefé a Tabatinga, pode ser mais difícil de ter mercado”, explicou o diretor de Engenharia e Operações da RNP, Eduardo Grizendi.

A RNP está envolvida desde que a ideia de conectar a Amazônia por fibras ópticas no leito dos rios começou o teste de viabilidade em um projeto com o Exército, em 2014, quando o programa Norte Conectado ainda era chamado Amazônia Conectada. O que então eram sete infovias subfluviais, viraram 10, especialmente pela expansão do projeto para o leste. A seguir do trecho entre Santarém e Macapá, já estão garantidos os R$ 163 milhões para a ligação entre Manaus e Santarém. E a ideia é usar o edital do 5G para financiar o restante. 

“Das infovias a serem construídas, uma está bem avançada, com orçamento garantido, para ligar Macapá a Santarém. Um segundo trecho, que liga Santarém a Manaus, vai ser construído com recursos do Gired, com as sobras do programa de digitalização do sinal analógico, e vai custar em torno de R$ 163 milhões em recursos que já estão dedicados. As demais infovias são alvo do edital do 5G”, detalhou o secretário executivo do Ministério das Comunicações, Vitor Menezes. 

Segundo Eduardo Tude, presidente da consultoria Teleco, que avaliou a viabilidade comercial do trecho Santarém-Macapá, a região conta com três dezenas de provedores de diferentes portes com algum interesse no negócio. “De partida há interesse em garantir redundância ao linhão OPGW, tanto pelas operadoras de celular e muitos provedores regionais. Especialmente em cada uma contar com seu próprio par de fibra. São quase 30 operadoras e cabem 18 no operador neutro.”

Clique para ampliar


CCT da Câmara quer rediscutir impacto da venda da Telebras no satélite brasileiro

Proposta de debate foi feita pelo deputado Vitor Lippi (PSDB/SP). Parlamentares querem convocar a estatal, o ministério das Comunicações, o TCU e o ministério da Defesa. Contrato com a Viasat será central no debate.

Mapa de Conectividade avalia oferta de banda larga em 27 mil escolas

Desenvolvida pelo NIC.br, ferramenta permite identitificar acesso à internet, redes disponíveis, medições de desempenho e pode chegar às 140 mil escolas estaduais e municipais.

Engenharia social é um risco grave para crianças e adolescentes

A Internet se tornou o ar que respiramos e para os jovens mais ainda e cabe aos pais terem a noção que segurança da informação é educação de base, recomenda o pesquisador de ameaças na Trend Micro e fundador da comunidade Mente Binária, Fernando Mercês.

Toxicidade da Internet: seu filho pode não ser a vítima, mas o agressor

"Tem uma série de regras de educação, valores da família, formas de se comportar que não valem só para o jogo, para a rede social, valem para a vida”, diz a professora e psicoterapeuta, Ivelise Fortim.

Cert.br: Pais aprendam com as crianças a fazer uma Internet Segura

"Vamos ouvir mais do que falar. Os pais precisam fazer os filhos falarem como atuam na Internet. É uma aprendizagem mútua e necessária", recomenda a analista de segurança Miriam von Zuben. 

Mais de 70% das escolas no Brasil assumem casos de cyberbullying

É imperativo que se trate a Internet como um lugar real e que se responsabilize as pessoas pelos seus atos para evitar os ataques, observou a especialista em comportamento e psicopedagoga Érica Alvim.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G