TELECOM

TIM e Vivo terão rede única 2G, 3G e 4G

Ana Paula Lobo* ... 19/12/2019 ... Convergência Digital

As operadoras TIM e Telefônica Brasil (Vivo) anunciaram nesta quinta-feira, 19/12, o maior contrato de compartilhamento de infraestrutura do Brasil. Eles são resultantes das negociações iniciadas em julho, quando as empresas comunicaram a intenção de dividir a cobertura 2G e criar um “single grid” (rede única) 3G e 4G em localidades com menos de 30 mil habitantes. O primeiro acerto entre eles - em 50 cidades, com responsabilidade de 25 cidades para cada tele, será finalizado em 180 dias para que se faça uma análise técnica e operacional.

No fato relevante, TIM e Vivo explicitam como será feito o compartilhamento de infraestrutura:

(i) Criação de uma rede única de tecnologia 2G que será implementada em áreas onde as duas operadoras estão presentes, de maneira que a operadora remanescente forneça os serviços de conectividade móvel em 2G para a base de clientes de TIM e VIVO. Esta iniciativa abrange a totalidade do território nacional, envolvendo cerca de 2.700 cidades, e resultará na desativação de sites sobrepostos com respectiva redução de custos e otimização no uso do espectro.

(ii) O segundo contrato, o de Single Grid, ou uma infraestrutura única, abrange somente cidades com menos de 30 mil habitantes, com o objetivo de criar uma rede única de 4G e 3G nas cidades onde apenas uma operadora está presente (Expansão de cobertura) e onde ambas as operadoras já oferecem serviços (Consolidação de rede):

•Expansão de cobertura 4G e 3G em cidades nas quais uma das companhias está presente e a outra não tem cobertura. Cada uma das Companhias cederá acesso à sua rede em mais de 400 municípios, fazendo com que o alcance total da iniciativa ultrapasse 800 municípios, contribuindo para a expansão da rede 4G com volume reduzido de investimentos;

•Consolidação de Rede, devido à inovadora solução técnica e operacional, a iniciativa terá um escopo inicial de 50 cidades, ficando cada operadora responsável por 25 localidades. O projeto inicial está programado para ser finalizado e ter um balanço em 180 dias após seu início, momento no qual será decidida a extensão do perímetro total da iniciativa, com potencial para abranger mais de 1.600 cidades.

No fato relevante encaminhado à CVM, as teles sustentam que “as iniciativas do Single Grid possibilitarão uma melhor experiência aos clientes alavancando-se no aumento de capacidade da rede e eficiência espectral através do compartilhamento de frequências em abordagem MOCN (Multi-Operator Core Networks Ran Sharing), bem como redução de custos e otimização dos investimentos. A implantação será feita de maneira gradativa, na medida em que forem testadas a qualidade e funcionamento das iniciativas.”

Os acordo selado entre TIM e Vivo estão sujeitos à comunicação e aprovação prévia da Agência Nacional de Telecomunicações – ANATEL e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica –CADE.  Também no fato relevante, TIM e Vivo "reiteram que preservarão sua autonomia comercial e de gestão de clientes, independentemente de qualquer acordo de compartilhamento de infraestrutura."

*Com informações da CVM


Internet Móvel 3G 4G
Carteira digital representou apenas 0,03% dos pagamentos recorrentes no Brasil

Pesquisa, produzida pela Vindi, com dados de 2019, mostra que o cartão de crédito, com larga vantagem, e o boleto bancário são as duas opções preferidas do brasileiro. No mercado de meio de pagamentos, a Cielo manteve a liderança, mas as startups, como a Stone, cresceram e apareceram.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Dataprev contrata Claro por R$ 236 mil para ter fibra ótica no Rio de Janeiro

Contrato, publicado no Diário Oficial da União, prevê a interligação dos prédios do data center da estatal de TI no Rio de Janeiro à filial na mesma cidade, no bairro de Botafogo.

Autor da nova Lei das teles lidera entidade para brigar por banda larga

Ex-deputado Daniel Vilela vai presidir a Aliança Conecta Brasil F4, que nasce com apoio da Huawei, FiberX e da consultoria Teleco, mas quer novos associados. “Não existe economia digital sem infraestrutura”, afirma.

Consumidores: Banda larga é o serviço com menor satisfação, celular o melhor

Para a Anatel, como o padrão de consumo exige estar sempre online, percepção de qualidade é especialmente rigorosa com a conexão à internet.

Decreto da nova Lei de Telecom depende de acerto sobre renovação de frequências

“Entendemos que é melhor que a Lei também seja aplicada para os contratos vigentes e estamos tentando construir uma posição única de governo”, explica o secretário executivo do MCTIC, Julio Semeghini. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G