Home - Convergência Digital

Escola de programação no Brasil só cobra depois do aluno receber o primeiro salário

Convergência Digital - 12/12/2019

De acordo com um estudo da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), há uma expectativa de criação de 420 mil novos empregos no segmento de tecnologia no Brasil até 2024. Destas vagas, estima-se que 150 mil não devem ser preenchidas por falta de pessoal qualificado. Para suprir essa necessidade do mercado, a escola norte-americana de programação Kenzie Academy chega ao País em janeiro de 2020 com uma proposta diferente e bastante atrativa: o aluno estuda, forma-se e só paga o curso após conseguir um emprego e ganhar seu primeiro salário.

Com sede em Indianápolis, nos Estados Unidos, a Kenzie traz para o Brasil um modelo de pagamento diferenciado para os estudantes. Nessa instituição de ensino, que será inaugurada em Curitiba (PR), o aluno tem a possibilidade de ingressar sem mensalidades no curso, pagando pela sua formação somente após conseguir um rendimento de no mínimo R$ 3.000,00. Para isso, a Kenzie se responsabiliza em ajudar o formado, colocando-o em contato com diversas empresas empregadoras e o apoiando com o ensino de habilidades e conhecimentos importantes para o ingresso no mercado profissional.

Como parte da expansão no Brasil, a Kenzie está trabalhando com grandes empresas como Ebanx, James Delivery, Social Wave, Banco Bari e CPlug, como os primeiros parceiros de contratação. Essas parcerias ajudarão os estudantes da Kenzie Academy Brazil a conseguirem seu primeiro emprego no mercado de tecnologia.

Para o CEO da Kenzie Academy Brasil, Daniel Soifer Kriger, trazer a Kenzie ao País irá contribuir com a economia brasileira e gerar novas oportunidades de desenvolvimento profissional para os interessados. “O crescimento acelerado do mercado de tecnologia brasileiro exige uma mão de obra específica e qualificada, que a educação tradicional não está dando conta de formar. E acredito que o tipo de educação que estamos oferecendo vai aumentar a capacidade competitiva do Brasil em tecnologia e inovação. Além de possibilitar qualquer pessoa a ingressar no mercado de tecnologia", afirma.

As aulas são dinâmicas, atualizadas, com metodologia ágil e conteúdo multidisciplinar, focando nas habilidades técnicas e desenvolvendo o pensamento crítico, ensinando o aluno a buscar conhecimento. Com duração de um ano (40 horas semanais), o curso oferece mais de 2.000 horas de aulas que utilizam uma metodologia comprovada nos Estados Unidos, unindo ensinamentos online e presenciais com suporte e mentoria de uma equipe especializada. Além disso, oferece orientação e ajuda na preparação para entrevistas de emprego, montagem do portfólio, entre outros.

A primeira turma no Brasil começa no dia 28 de janeiro, com apenas 15 vagas. “A Kenzie já está mudando as vidas e carreiras de inúmeras pessoas nos EUA, com mais de 500 alunos matriculados. Agora, estamos trazendo o mesmo nível de acesso ao Brasil”, finaliza Kriger. Para mais informações acesse: www.kenzie.com.br

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

17/09/2020
Stefanini promove Maratona de Desenvolvimento 2020

11/09/2020
Procura por programador chegou a crescer 157% no Brasil por conta da Covid-19

25/08/2020
São Paulo tem 25 mil bolsas para formar programadores de games

24/08/2020
Escola de programação promove maratona de programação exclusiva para mulheres

06/07/2020
Governo de SP e startup abrem 50 mil bolsas de estudo gratuitas para cursos de programação

26/05/2020
Carrefour vai qualificar gratuitamente 25 mil profissonais de TI

22/05/2020
Santander Coders oferece 240 bolsas para desenvolvimento mobile

15/05/2020
Mais de 10 mil mulheres estão inscritas para o Santander Coders

15/04/2020
Pandemia de Covid-19 promove uma corrida por programadores em Cobol

25/03/2020
Instituto TIM oferece cursos online e gratuitos para capacitação

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Seis dicas para formar uma equipe de trabalho resiliente

or Craig Mackereth*

Formar uma equipe ou força de trabalho resiliente não é tarefa que se execute da noite para o dia. Tampouco é possível tornar uma equipe verdadeiramente resiliente se isso ainda não estiver integrado ao DNA da empresa.

Destaques
Destaques

Um em cada cinco servidores públicos será substituído por robô no Brasil

A Escola Nacional de Administração Pública estima que, por conta da Transformação Digital, a automação deverá substituir cerca de 100 mil postos de trabalho no Serviço Público Federal nos próximos cinco a 10 anos, sendo que a metade deles terá menos de 50 anos.

Acordo trabalhista em Goiás será pago em Bitcoins

Em conciliação realizada pelo TRT de Goiás, empresa de mineração aceitou o pagamento no valor de R$350 mil convertidos na moeda eletrônica. 

Teletrabalho: Novo PL quer acordo prévio para custos com Internet e PCs

Iniciativa também não permite que o tempo de uso dos aplicativos, como o WhatsApp, fora da jornada normal, seja um regime de prontidão. Projeto tem regras distintas da IN 65 do Governo Bolsonaro para os servidores públicos.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site