Clicky

Home - Convergência Digital

5G só começa depois de garantia de recepção nas parabólicas

Luís Osvaldo Grossmann - 01/02/2021

A oferta de 5G no Brasil deve começar no segundo semestre de 2022, a julgar pelo cronograma previsto na proposta de edital apresentada pela Anatel nesta segunda, 1º de fevereiro. Por conta da ‘limpeza’ da chamada faixa de 3,5 GHz – na verdade o naco entre 3,3 e 3,7 GHz – o texto em análise indica uma “carência” de 300 dias para que seja solucionada a potencial interferência com as antenas parabólicas, pelo menos nas capitais. 

Esse foi um dos pontos largamente discutidos ao longo da preparação do edital. Como antenas parabólicas recebem os sinais de televisão na faixa entre 3,6 GHz e 3,7 GHz, a Anatel optou pela migração dessa recepção para outro endereço – a chamada banda Ku, acima de 10 GHz. 

Daí o prazo de 300 dias para que essa operação seja realizada nas capitais, seguindo-se um escalonamento para as demais cidades do país, de forma a ser possível a operação de 5G sem o risco de interferências. A proposta agradou o setor de radiodifusão. 

“Temos defendido, desde o princípio, que a migração de usuários da banda C para a banda Ku, para o futuro uso da faixa de 3,5 GHz, é única solução viável e segura para que os domicílios que recebem TV aberta e gratuita não fiquem com o seu sinal interferido pelo 5G”, afirmou o presidente da Abratel, Márcio Novaes.

As teles móveis, no entanto, queriam outra solução, mais barata, que previa a instalação de filtros nas parabólicas. Como tal solução se daria somente para quem reclamasse de interferência, as teles defendiam que isso permitiria um lançamento comercial mais rápido do 5G. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

20/04/2021
Kaspersky define 5G como instigante e prioriza Centro de Transparência do Brasil

20/04/2021
TCU vê risco de Justiça parar 5G por disputa com satélites

20/04/2021
TIM alcança 1,8 Gbps no 5G stand alone no Brasil

19/04/2021
Qualcomm demonstra chamadas 5G com ondas milimétricas

16/04/2021
Romênia se junta à Suécia e Reino Unido e tem projeto para barrar Huawei no 5G

15/04/2021
América Latina se divide sobre uso de ondas milimétricas

15/04/2021
Leilão de 26 GHz terá disputa no Brasil

15/04/2021
Anatel se divide e adia decisão sobre pedido da Sky

14/04/2021
Ericsson registra patente brasileira para o 5G

13/04/2021
No 5G, Oi desponta como 'azarão' na faixa de 26GHz

Destaques
Destaques

Brasil está fora dos países liberados pela Espanha para o Mobile World Congress

Programado para acontecer de 28 de junho a 01 de julho, o organizador, GSMA, fechou um acerto com as autoridades espanholas para isentar os participantes das restrições impostas às pessoas de fora da União Europeia.

Highline se propõe a comprar licença 5G e oferecer espectro como serviço para ISPs

A proposta da empresa, explicou Luis Minoru, diretor de estratégia e novos negócios, é o de oferecer toda a infraestrutura na modalidade de serviço. Já há testes em andamento, não revelados, para o funcionamento da modalidade que inclui a operação de telefonia móvel.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Com rede sujeita a apagões, qual impacto do 5G na energia no Brasil?

Por Pedro Al Shara*

Segundo pesquisa da Vertiv, fornecedora de equipamentos e serviços para infraestrutura crítica, um aumento da ordem de 150% a 170% no consumo energético é projetado no setor de Telecom até 2026. Com toda a inovação que o 5G representa, mais dispositivos poderão acessar a internet móvel ao mesmo tempo, utilizando o mesmo sinal.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site