Clicky

Convergência Digital - Home

Provedores de nuvem dos EUA terão que fornecer dados de clientes estrangeiros ao governo

Convergência Digital
Convergência Digital* - 21/01/2021

Entre os últimos atos como presidente dos Estados Unidos, Donald Trump baixou uma ordem executiva determinando que as empresas fornecedoras de serviços de computação em nuvem com sede no país mantenham registros de clientes estrangeiros para ajudar as autoridades dos EUA a rastrear pessoas que cometem crimes cibernéticos. 

Entre as informações a serem retidas, os provedores de nuvem americanos devem manter nomes, endereços físicos e de e-mail, números de identificação nacional, meios e fontes de pagamento que podem ser detalhes de cartão de crédito ou conta bancária, números de telefone e endereços IP usados para acessar os serviços e cada vez que isso acontece. 

“Atores estrangeiros usam produtos IaaS dos Estados Unidos para uma variedade de tarefas na realização de atividades cibernéticas maliciosas, o que torna extremamente difícil para as autoridades dos Estados Unidos rastrear e obter informações por meio de processos judiciais antes que esses atores estrangeiros façam a transição para a infraestrutura de substituição e destruam as provas de suas atividades anteriores”, escreveu Trump em uma carta à  presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e ao presidente do Senado, Mike Pence – cargo que nos EUA é sempre ocupado pelo vice-presidente.

Embora a ordem executiva e a carta usem o termo de infraestrutura como serviço (IaaS), a determinação também inclui outros serviços em nuvem. "O termo [IaaS] significa qualquer produto ou serviço oferecido a um consumidor, incluindo ofertas gratuitas ou de 'teste', que fornece processamento, armazenamento, redes ou outros recursos de computação fundamentais e com os quais o consumidor é capaz de implantar e executar software que não é predefinido, incluindo sistemas operacionais e aplicativos. 

A medida dá ao Departamento de Comércio a capacidade de restringir o acesso aos serviços em nuvem dos EUA se um país for considerado como tendo "qualquer número significativo de estrangeiros oferecendo produtos IaaS dos Estados Unidos usados para atividades cibernéticas maliciosas" ou limitar o acesso de certos estrangeiros. 

Esta seção e as obrigações de manutenção de registros entrarão em vigor após 180 dias. Em 120 dias, o governo dos Estados Unidos precisará consultar sobre como aumentar o compartilhamento de informações entre os próprios provedores de nuvem, bem como com o governo, para "deter o abuso de produtos IaaS dos Estados Unidos". Após 240 dias, um relatório e recomendações serão apresentados ao Presidente.

* Com informações da Reuters e da ZDNet


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Destaques
Destaques

Justiça do DF diz que dados em nuvem não têm proteção contra quebra de sigilo

Para o relator do caso, "dados armazenados em nuvem não evidenciam uma comunicação de dados" e, por isso, não estariam protegidos pela legislação. 

São Paulo concentra mais da metade das startups de Inteligência Artificial

Estudo da KPMG mostra que existem, hoje, 702 startups em atuação no segmento no País. Levantamento ainda que, desde 2012 setor atraiu US$ 839 milhões em 274 rodadas de investimento; em 2020 foram captados US$ 365 milhões.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

IA, nuvem e IoT exigem data centers mais eficientes

Por Ed Solis*

Adoção crescente de tecnologias como inteligência artificial, internet das coisas e PoE estão na lista para melhorar o desempenho das redes e a eficiência do gerenciamento.

A Covid-19 e o governo digital

Por Marcos Boaglio*

A digitalização impõe adotar uma cultura de inovação na qual se fomente a experimentação, derrubar barreiras a partir de novos veículos de aquisição e implementar uma classificação de dados moderna, assim como desenvolver capacidades para empoderar os trabalhadores para finalmente aproveitarem as novas tecnologias.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site