Clicky

Convergência Digital - Home

Quase metade das empresas vai investir em edge computing na América Latina

Convergência Digital
Convergência Digital - 14/10/2020

Um levantamento da IDC no Brasil aponta que 66% das empresas deverão ativar digitalmente seus modelos operacionais e terão o trabalho remoto incluído de forma permanente em suas políticas de recursos humanos. Neste sentido, a tecnologia torna-se essencial para suportar essas atividades e os serviços em nuvem, imprescindíveis para que as empresas alcancem esses objetivos.

De acordo ainda com a pesquisa, 44% dos entrevistados no Brasil informaram que suas empresas vão aprimorar as iniciativas de conectividade em 2020/2021. Trinta e oito por cento delas indicaram que vão promover melhorias nas atividades relacionadas a costumer experience. Na América Latina, 48% dos respondentes informaram que têm planos de investir em IoT/Edge Computing, fazendo da cloud um serviço essencial para a transformação digital dessas empresas. Os dados foram revelados em evento realizado pela Oi Soluções para clientes, sobre inovação tecnológica.

Mas como o serviço em cloud pode colocar as companhias em um outro nível de digitalização?  O fato é que em relação à arquitetura de TI e à adoção de nuvem, diz a IDC, há três modelos praticados por empresas das mais variadas verticais de negócios: nuvem pública, mais abrangente acomodando aplicações dinâmicas, geralmente tocando o cliente final ou o ecossistema do qual a empresa faz parte; nuvem privada, destinada aos workloads que necessitam estar próximos do núcleo de negócios ou que têm algum parâmetro ou legislação que requer essa atividade; e a TI tradicional, cujo objetivo é suportar sistemas que por motivos técnicos ou estratégicos não serão modernizados. 

Tendência de adoção mais importante na América Latina na era pós-covid, a chamada nuvem híbrida, que é a combinação da utilização de nuvens públicas e privadas ganha destaque. Segundo entrevistados pela IDC, até 2021 os investimentos serão mantidos ou aumentados para todos os tipos de cloud (privado 61%, IaaS 58%, PaaS 59% e SaaS 58%) devido à necessidade de novas tecnologias impulsionada pela Covid-19. O avanço de ambientes híbridos é uma característica da adoção de nuvem do mercado brasileiro e, diante do grau de complexidade e a importância da segurança na nuvem, há uma necessidade do gerenciamento de todos esses serviços.

“Em se tratando de cloud, atualmente os clientes corporativos têm múltiplas soluções à sua frente. E não há uma fórmula certa que sirva para todas as empresas. Cada indústria tem a sua particularidade e a sua solução específica. A nossa função na Oi Soluções é olhar para o cliente do nosso cliente entendendo quais são as aplicações ou sistemas que não podem falhar, definir a infraestrutura e o tipo de cloud que vamos oferecer para ele. Tudo baseado em valor, flexibilidade e criticidade”, completea o diretor de vendas regionais Oi Soluções, Ideval Munhoz.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Diversidade e Ciência de Dados: um desafio ao Brasil

Mais mulheres precisam ocupar carreiras em Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática pelo bem do País, incentiva a embaixadora da Women in Data Science da USP (WiDS @USP), Renata Sousa.

Destaques
Destaques

Palo Alto: É um erro enorme repetir o passado e não tornar a nuvem aberta de verdade

"A nuvem tem de ser aberta, multicloud e não ter complexidade para os sistemas se falarem. Fizemos isso lá trás e foi um prejuízo. Não podemos errar porque nuvem é crucial no 5G", adverte Marcos Oliveira, diretor geral da Palo Alto Networks no Brasil. A empresa aposta suas fichas no 5G e num novo desenho para o mercado de segurança de redes.

Nuvem exige plano A, plano B e erra quem não faz recuperação de desastre

A nuvem não é proteção por si só e exige muito planejamento das empresas, afirmam especialistas de segurança da informação. Para o CISO da RNP, Emilio Nakamura, contingência e resiliência são obrigações. "Ser rápido num incidente é o relevante porque não existem sistemas 100% seguros".



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site