GESTÃO

Governo terá plataforma de consentimento e monitoramento do uso de dados

Luís Osvaldo Grossmann ... 11/11/2019 ... Convergência Digital

A secretaria de governo digital do Ministério da Economia planeja adotar uma plataforma nacional para gestão dos dados pessoais pelos cidadãos, a exemplo de países como Estônia e Dinamarca. O objetivo é que por meio dessa plataforma cada brasileiro possa consentir com o uso específico de seus dados por órgãos públicos, assim como acompanhar quem e por que tem acesso a essas informações. 

“Queremos que a identidade digital, que está sendo estabelecida em conjunto com o Tribunal Superior Eleitoral, seja a plataforma que não apenas vai dar garantia e precisão de quem é esse cidadão no mundo digital, mas também vai permitir que esse cidadão faça a gestão de seus dados pessoais, dê o consentimento específico para o uso específico de dados pessoais, e também para que esse cidadão possa monitorar quem, que órgão público em que momento e por que motivo está acessando seus dados pessoais”, explica o secretário de governo digital, Luis Felipe Monteiro. 

A SGD funciona como braço operacional da implantação do ‘Cadastrão’, na prática a capacidade de que diferentes órgãos públicos possam acessar algumas bases de dados de forma interoperável e não necessariamente a unificação física dessas bases. Na sexta, 8/11, o ministro Paulo Guedes baixou uma portaria indicando os nomes para o “Comitê Central de Governança de Dados”, a quem caberá definir as regras de como essa interoperabilidade vai funcionar. Além da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, esse comitê agora já tem nomes também da Receita Federal, Casa Civil, CGU, AGU, INSS e da secretaria de modernização do Estado da Presidência da República. 

Como explica o secretário de governo digital, a adoção de uma plataforma de gestão do consentimento é uma das etapas de aderência à Lei Geral de Proteção de Dados (13.709/18) e deverá ser estabelecida a partir de orientações da Autoridade Nacional de Proteção de Dados – ainda em vias de ser constituída. Segundo Monteiro, “o dado pessoal é do cidadão, não é do governo. O governo como detentor precisa preservá-lo e protegê-lo”. 

“Esse processo do consentimento ainda estamos em planejamento. Vamos discutir com a Autoridade Nacional de Dados que está sendo constituída. Queremos que ela nos oriente quais os padrões mais adequados para a gestão do consentimento, e aí implementaremos o processo que seja 100% aderente à Lei Geral de Proteção de Dados, que foi uma grande conquista do Brasil”, afirma. 

A composição do Comitê Central de Governança de Dados ficou assim: 

“I - da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia - SEDGG:

a) Titular: Ciro Pitangueira de Avelino, que o presidirá; e

b) Suplente: Renan Mendes Gaya Lopes dos Santos;

II - da Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil do Ministério da Economia - SRFB:

a) Titular: Marcelo de Melo Souza; e

b) Suplente: Juliano Brito da Justa Neves;

III - da Casa Civil da Presidência da República:

a) Titular: Orlando Oliveira dos Santos; e

b) Suplente: Marcelo Amaro Buz;

IV - da Secretaria de Transparência e Prevenção da Corrupção da Controladoria-Geral da União - CGU:

a) Titular: Marcio Denyz Pessanha Gonçalves; e

b) Suplente: Karin Webster;

V - da Secretaria Especial de Modernização do Estado da Secretaria-Geral da Presidência da República - SEME:

a) Titular: Nizar Ratib Midrei;

b) Suplente: Sylvio Cezar Koury Musolino Filho;

VI - da Advocacia Geral da União - AGU:

a) Titular: Caio Castelliano de Vasconcelos; e

b) Suplente: Eduardo Alexandre Lang;

VII - do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS:

a) Titular: Marcia Eliza de Souza; e

b) Suplente: Flávio Ferreira dos Santos.”


Carreira
Accenture abre mais de 550 vagas em TI

Vagas são para home office e consultoria busca profissionais com conhecimento em Cloud, Java, APIs & Microsserviços, Node.js, Angular, React, Reactive Native, iOS, Android, Arquiteto Cloud ou DevOp.

Órgãos públicos estão obrigados a fazer relatórios trimestrais de transformação digital

Monitoramento será acompanhado pela Secretaria Especial de Modernização do Estado da Secretaria Geral da Presidência da República. Norma também aprova 23 planos de transformação digital dos órgãos do governo federal que estão em execução.

Teletrabalho: Brasil somou 8,7 milhões de trabalhadores em home office em junho

Estudo do IPEA mostra que o índice da adesão ao home office no serviço público é mais de três vezes a proporção do setor privado. Em junho, 24,7% dos trabalhadores do setor público exerciam atividade remota, mas, no setor privado, eram apenas 8%.

TCU dispensa papel e adota protocolo 100% digital

Documentos a serem protocolados junto ao Tribunal de Contas da união, para qualquer finaldiade, agora devem ser encaminhados, exclusivamente, por meio dos serviços via internet. 

Trabalho remoto reduziu R$ 466 milhões em despesas de custeio do governo

Levantamento divulgado nesta segunda, 3/8, pelo Ministério da Economia, lista deslocamentos e viagens, além dos serviços de energia elétrica e comunicação como principais cortes com a pandemia de Covid-19.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G