25/11/2020 às 10:24
Carreira


Média salarial de profissional de TI no Brasil ficou em R$ 4.849,00
Ana Paula Lobo*

O salário no ramo de serviços em tecnologia da informação (TI) no Brasil cresceu 17% em um período de dez anos (entre 2009 e 2019). O desempenho é superior à evolução de 12,5% registrada no total da economia, no mesmo período. Os dados são da mais recente edição "Insight Report 2020 - Panorama do Setor de Tecnologia da Informação e Comunicação", estudo realizado pela Associação das Empresas de Tecnologia da Informação no Paraná (Assespro-Paraná) em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Com esse aumento, o salário médio no ramo de serviços em TI encerrou o último ano em R$ 4.849,00 mensais, no Brasil. São Paulo registra uma média maior: R$ 6.061. Depois temos o Rio de Janeiro com R$ 4.699 e Brasília com R$ 4.647. As diferenças salariais se acentuam nas região Norte e Nordeste. Em Sergipe, por exemplo, a média salarial em TI é de R$ 1.943. No Amapá, R$ 2.180 e em Goiás, no Centro-Oeste o valor médio é de R$ 2.764. 
   
Em que pesem os bons resultados acumulados em um decênio, o salário médio do ramo de serviços em TI não deixou de sofrer efeitos da crise econômica, nos últimos anos, pontua o professor Victor Pelaez, doutor em Ciências Econômicas, da UFPR. “De 2018 para 2019, o salário médio nessas atividades teve ligeira redução (-1%), em âmbito nacional”, cita o professor.

Alguns segmentos, porém, conseguiram escapar e apresentaram evolução positiva, sublinha Pelaez. São eles os segmentos de “tratamento de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na internet”; e “de portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet”. “Em âmbito nacional, esses dois segmentos tiveram, respectivamente, taxas de crescimento de 3% e 2%, na média de salários”.

No ramo de serviços em TI ainda há diferença salarial entre gêneros, como ocorre em outras atividades da economia. “Em 2019, os salários pagos às mulheres no ramo de serviços em TI foram 13%, em média, mais baixos que os pagos aos homens”, cita o professor da UFPR, comparando os dados.

Especificamente no Paraná, a taxa de crescimento real dos salários no ramo de serviços em TI também superou a média das demais atividades econômicas. “Enquanto no Brasil a evolução dos salários no ramo de serviços em TI foi 5,5 pontos acima do total da economia, no Paraná a diferença foi ainda maior: 8,5 pontos percentuais”, sublinha o professor Victor Pelaez. Em relação às 15 unidades da federação analisadas, o Paraná aparece como o sétimo com maiores salários no ramo de serviços em TI, no biênio 2018-2019. “Houve uma variação de -2%, queda mais acentuada que da média nacional (-1%), para o período”, menciona Pelaez.

*Com informações da Assessoria da Assepro Paraná


Powered by Publique!