Clicky

Home - Convergência Digital

Anatel lança aplicativo que compara ofertas das operadoras

Luís Osvaldo Grossmann - 23/07/2020

A Anatel lançou oficialmente nesta quinta, 23/7, um aplicativo que compara ofertas de serviços de telefonia fixa e móvel, TV paga e banda larga, em uma iniciativa que busca dar maior transparência e facilitar a escolha na hora de contratar um plano de celular ou internet. 

“A maior virtude da ferramenta é o incremento da transparência, com informações sobre as ofertas que serão continuamente atualizadas, em compromisso das operadoras”, afirmou o presidente da agência, Leonardo de Morais, ao apresentar o app. 

Obrigatório para as empresas com mais de 5% de mercado, ele traz ofertas da Claro, Oi, Sky, TIM e Vivo. Facultativo às prestadoras de pequeno porte, já tem também a adesão da Algar, Brisanet e Cabo Telecom, onde as ofertas são disponíveis. E outras 50 empresas já indicaram interesse em incluir seus planos no app da agência. As interessadas podem se inscrever pelo email gaac@anatel.gov.br. 

Segundo o superintendente de competição da Anatel, Abraão Silva, o app nasce com 380 ofertas, sendo 114 de telefonia móvel, 123 de fixa, 74 de TV por assinatura e 69 de banda larga fixa. Mas a atualização é constante e varia a depender do município, por enquanto a menor granularidade disponível. Nesta mesma quinta, em Brasília, já eram listadas 140 planos de celular. Em São Paulo, 139, por exemplo. 

Por enquanto, a pesquisa é feita por serviço (telefonia fixa, celular, TV paga e internet) com os planos disponíveis em cada município selecionado. A partir dessa lista geral, é possível filtrar pelo nome da oferta, operadora, modalidade (pré, pós ou controle) e por intervalo de preço, além de exigência ou não de fidelização. A próxima atualização, em 90 dias, vai incluir a possibilidade de comparar ‘combos’.

“São alguns elementos de comparação, além do preço, mas que às vezes ficam no asterisco, na letra miúda do contrato. Então a gente espera que o Anatel Comparador traga clareza a esses elementos. Ele conta com empenho das prestadoras, mas a gente também espera participação da sociedade. É importante que haja comentários, feedbacks para que o aplicativo evolua. A gente espera que os consumidores façam uso e tragam elementos para a Anatel”, apontou a superintendente de relações com os consumidores, Elisa Leonel.

As empresas devem assinar termo de compromisso que garante fidedignidade e atualização nas ofertas. Daí os termos apresentados no aplicativo serem vinculantes como se tivessem sido colocados em publicidade. O desenho inicial do app é de 2015, quando um piloto foi feito com recursos do Fundo de Direitos Difusos do Ministério da Justiça. A versão final disponível foi completamente desenvolvida por servidores da Anatel. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

27/11/2020
Oi acerta corte de 50% em multas da Anatel, para R$ 7 bilhões, mas conta pode cair para R$ 4 bilhões

27/11/2020
Anatel abre licitação para elaboração de novo modelo de custos

27/11/2020
Anatel encerra ciclo de TACs em acordo fraco com Algar

27/11/2020
Com prioridade pra TVs, Anatel divide sobras de R$ 1,4 bilhão da TV Digital

26/11/2020
Para acabar com troca-troca de planos pelas teles, Anatel vai impedir mudanças em menos de 12 meses

26/11/2020
Anatel renova faixa de 850 MHz para Vivo, mas nega pedido de redução de preço

24/11/2020
Intervozes e Idec pedem que Anatel detalhe as medidas tomadas na crise do Amapá

23/11/2020
Anatel abre licitação de R$ 7,2 milhões para chamadas pelo 1331

18/11/2020
Apple vai pagar R$ 600 milhões por deixar iPhones antigos mais lentos

12/11/2020
Anatel e ABDI vão testar uso industrial e redes privadas no 5G

Destaques
Destaques

Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

Ondas milimétricas não apenas uma banda a mais para o 5G, mas são a base das novas aplicações com baixíssima latência, diz Francisco Soares, da Qualcomm. Wilson Cardoso, da Nokia, adverte que, até 2025, serão instaladas 200 mil ERBs para atender verticais específicas como a indústria 4.0.

Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

"Não há como fazer obrigação em cibersegurança. O ambiente tem de ser cooperativo e não é apenas com as teles. São mais de 10 mil pequenos prestadores de serviços e eles têm de estar ativos. Temos de ter uma coordenação entre todos os atores", disse o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, Nilo Pasquali.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

IoT e os novos negócios e aplicações para o mercado de energia

Por Pedro Al Shara*

Analistas de mercado estimam que o impacto da Internet das Coisas na economia alcance de 4% a 11% do Produto Interno Bruto do planeta em 2025.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site