Home - Convergência Digital

Lacunas de infraestrutura no caminho do 5G no Brasil

Luís Osvaldo Grossmann - 06/11/2019

O começo da implementação do 5G pelo mundo, com pelo menos 27 países já com redes comerciais ativas, dá pistas de como a nova tecnologia impactou os modelos de negócios. Mas a aplicação prática dessas novidades por aqui, segundo destacou a Anatel, exige atrelar a oferta de espectro à investimentos que enderecem as lacunas de infraestrutura. A agência participou do Workshop 5G, organizado pela Network Eventos, nesta terça-feira, 05/11, em Brasília.

“O modelo busca garantir acesso a espectro para diversos players, tanto atuais como novos. E o edital prevê que para ter 5G eficiente existe a necessidade de tampar os gaps de infraestrutura que existem no país. Precisa de rede de acesso fibrada nas cidades, backbone para escoar esse tráfego, além de chegar a localidades ainda não atendidas”, ressaltou o superintendente de Outorgas e Recursos à Prestação da Anatel, Vinícius Caram. 

Se o formato atual da minuta de edital do 5G, conforme apresentado pelo relator ainda depende de maior discussão no órgão regulador, a experiência do mercado nos países onde a nova tecnologia já começou a ser implementada indica por onde deve começar a oferta também no Brasil. 

“Um dos principais casos de uso é a ultra banda larga, que é aumentar o throughput das redes móveis, com alta capacidade e baixa latência. Isso garante uma melhor experiência de uso para o consumidor tradicional de smartphones, conseguindo velocidades próximas a 1Gbps”, explica Caram. 

“Outro modelo de negócio é usar a rede de acesso como enlace para os domicílios, no que se chama de FWA [fixed wireless access], que permite substituir a rede cabeada por uma rede sem fio, 5G, onde teria um dispositivo na casa do usuário que faz a conversão da rede 5G nas ondas milimétricas de 26 Ghz para dispositivos que tem conectividade WiFi.”

“E ainda a aplicação de narrowband IoT e massive machine, que é uma aplicação real para as indústrias e já existe em outros países, além da internet das coisas. Inicialmente essas aplicações já são realidades e podem ser aplicadas. No futuro a gente espera ampliar capacidades para realidade virtual, segurança, educação e outras verticais.”

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

08/07/2020
5G da Claro será na faixa de 2,6 GHz

08/07/2020
Faria: 5G depende de posição do presidente Jair Bolsonaro

07/07/2020
Nokia usa RAN aberto para provocar Ericsson no 5G

02/07/2020
Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

02/07/2020
Claro traz 5G com compartilhamento de frequência para o Brasil

30/06/2020
Vivo e TIM avançam com OpenRAN para 'quebrar' concentração dos fornecedores

30/06/2020
Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

29/06/2020
Vodafone: 5G é o remédio para combater o impacto da Covid-19

25/06/2020
Covid-19 impôs revisão dos projetos 5G na América Latina

23/06/2020
Huawei: Brasil sempre teve um mercado aberto e justo no setor de TIC

Destaques
Destaques

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site