Clicky

Home - Convergência Digital

Anatel também rejeita pedido da Claro contra acordo Vivo/TIM

Luís Osvaldo Grossmann - 04/06/2020

No mesmo dia em que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica negava recurso da Claro contra o acordo de compartilhamento de redes entre Vivo e TIM, a Anatel igualmente rejeitava pleito em sentido semelhante. Neste caso, para garantir efeito suspensivo a questionamento da parceria no âmbito do regulador. A decisão está no Diário Oficial da União desta quinta, 4/6.

A Claro “sustenta riscos de ordem competitiva, em função de alegada concentração de mercado dos serviços móveis prestados na tecnologia 2G, além de argumentos acerca de um eventual desequilíbrio da assimetria de custos entre as partes contratantes frente a terceiros. Ademais, defende sua legitimidade como terceira interessada no processo e exigências para inclusão de condicionantes relacionadas à operação estabelecida entre as contratantes”. 

Segundo relatou o presidente da Anatel, Leonardo Morais, “esses argumentos que subsidiam a petição pela suspensão da eficácia da decisão do colegiado não parecem, todavia, suficientes para justificar a suspensão pretendida dado que os autos do processo passaram por longa e detalhada instrução processual nas áreas técnicas desta Agência, e extensiva avaliação sobre os aspectos enumerados pela peticionante. Além do mais, dado que a decisão se destina a impulsionar um arranjo de compartilhamento com inequívoco interesse público, não cabe sua interrupção nesta fase da instrução processual”. 

A operação refere-se à celebração de contratos de cessão recíproca onerosa de rede entre Telefônica e TIM, com o objetivo de compartilhar meios de rede para implantação e prestação de serviços sob as tecnologias 2G, 3G e 4G. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

25/01/2021
Anatel rejeita pedido das móveis e encerra consulta sobre 6 GHz para WiFi

22/01/2021
TIM faz parcerias de olho no mercado das PMEs

20/01/2021
Vivo tem mais de 100 vagas abertas e busca cientista de dados

15/01/2021
TIM entra na disputa pela gestão da iluminação pública com rede de IoT

14/01/2021
Inter fecha parceria MVNO com a Vivo atenta ao mercado pré-pago de voz e dados

14/01/2021
Governo solta atas de registro de preços para órgãos públicos contratarem TIM e Claro

13/01/2021
Vivo contrata OpenStack, da Canonical, para levar cobrança online para a nuvem

13/01/2021
Telefonica vende torres para American Tower por 7,7 bilhões de euros. Brasil faz parte do pacote

06/01/2021
TIM e Claro levam pregão de telefonia móvel e fixa do governo federal

17/12/2020
Anatel estabelece regras de segurança cibernética para redes de telecom

Destaques
Destaques

Uso da faixa de 700 MHz deixa 4G disponível 80% do tempo no Brasil

Segundo a mais recente análise da OpenSignal, TIM tem a rede de quarta geração com maior disponibilidade, 88,2%, à frente da Claro (79%) e Vivo (79,5%), Oi (70,2%). 

Um em cada quatro acessos móveis na América Latina será 5G até 2026

Nova edição do Relatório de Mobilidade da Ericsson aponta que até o final de 2020, mais de 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo já estará usando 5G. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Previsões para 5G Core (5GC) e redes móveis em 2021

Por Ivan Marzariolli*

A maioria das teles com 5G escolheu o que é chamado de implementação “não autônoma”.  É um híbrido de 4G e 5G que permite oferecer muitos recursos 5G aos assinantes, enquanto ainda aproveita o investimento existente em seu core de pacote 4G. Operadoras estão ansiosas para aproveitar as vantagens do 5GC (SA ou autônomo) - maior agilidade de serviço e custos mais baixos.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site