SEGURANÇA

Revolução do 5G exige adaptação cultural para segurança

Luís Osvaldo Grossmann ... 09/12/2019 ... Convergência Digital

Se com o 4G já são dados os primeiros passos de redes de internet das coisas, com o 5G o salto será ainda maior. Uma infinidade de novos produtos e serviços baseados em sensores, câmeras e até carros autônomos trará consigo mais preocupações com segurança. 

“O 5G vem revolucionar o mercado, trazer mais velocidade, mais conectividade. E prover também uma nova gama de produtos e soluções de mercado para atender a população. Hoje as pessoas tem poucos dispositivos conectados na internet. Com o 5G, com alta velocidade, serão câmeras, até carros autônomos, uma infinidade de produtos. E a segurança desses dispositivos é a grande preocupação. A cultura da sociedade precisa se adaptar”, afirma Fernando Sampaio Alves, da TIM. 

O papel das operadoras de telecomunicações é ainda mais estratégico. “Os provedores de comunicações provém acesso para várias entidades, inclusive governo. E a preocupação com ataques é enorme. Isso significa grandes investimentos, treinamento de pessoas, conscientização interna”, explica Alves, que tratou do tema durante o 7º seminário Cyber Security – Gestão de Risco no Governo, promovido pela Network Eventos em Brasília.  Assista a entrevista com Fernando Sampaio Alves, da TIM Brasil.


Administradora de shopping centers revela ataque cibernético

Ao mercado a Aliansce Sonae informou que a invasão aconteceu em maio e a companhia admite que, algumas informações possam ter sido acessadas, mas que elas não eram estratégicas.

PF caça quadrilha que teria vazado dados do presidente Bolsonaro e de mais de 200 mil servidores

Ação policial acontece nos Estados do Rio Grande do  Sul e Ceará. Organização teria invadido sistemas de universidades, prefeituras e câmaras de veradores.

Para Idec, ação comprova que Metrô de SP não garante segurança de reconhecimento facial

Segundo entidade, que move processo contra o Metrô, empresa falhou em não realizar estudo para implantar a tecnologia. 

Bancos querem prisão por até 18 anos para cibercriminosos

Instituições financeiras pedem a aprovação urgente do PL 2638, apresentado na Câmara, pelo deputado Marcelo Ramos, PR/AM, que impõe punição rigorosa às fraudes cibernéticas. "A impunidade é um incentivo", diz Adriano Volpini, do Itaú-Unibanco.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G