INTERNET

EUA discutem os impactos ruins do fim da neutralidade de rede

Convergência Digital ... 20/02/2020 ... Convergência Digital

A Comissão Federal de Comunicação dos Estados Unidos, FCC na sigla em inglês, abriu uma nova consulta para colher avaliações dos impactos da decisão de derrubar as regras de neutralidade de rede, ainda em 2017. A consulta é consequência direta de uma decisão judicial que determinou à agência americana uma análise sobre os possíveis impactos negativos da medida. 

Especificamente, a FCC diz que busca ouvir como a mudança nas regras que eliminaram as obrigações de neutralidade teria afetado a segurança pública, as regras de acesso à infraestrutura e o financiamento para o programa de subsídios à assinaturas de banda larga, chamado Lifeline. 

Em nota, uma das comissárias Democratas da FCC, Jessica Rosenworcel, que participou, e perdeu, na votação de 2017 que derrubou a neutralidade de rede, conclamou as pessoas insatisfeitas com aquela decisão a usarem a consulta pública para “fazer barulho” e “mostrar a Washington o quão importante uma internet aberta é para cada pedaço da vida cívica e comercial”. Nos EUA, as cinco vagas da agência são divididas entre os dois partidos majoritários, sempre com maioria para o partido do presidente da República. 

A consulta se deve a uma decisão judicial, de outubro de 2019, que manteve a validade da votação de 2017, que derrubou as regras aprovadas em 2015, mas ao mesmo tempo rejeitou o pedido da FCC para que fossem proibidas legislações estaduais sobre neutralidade de rede. Ao mesmo tempo, a decisão judicial determinou à FCC que revisasse o impacto da medida. 


Revista Abranet 30 . fev-mar-abr 2020
Veja a Revista Abranet nº 30 A matéria de capa enfatiza a relevância do engajamento ao mostrar que uma internet mais segura depende da ação conjunta de todos os atores do ecossistema. Tratamos também do leilão das frequências do 5G. Veja a revista.
Clique aqui para ver outras edições

Convenções partidárias para Eleições 2020 podem ser feitas por videoconferência

TSE decidiu que os partidos têm autonomia para utilizarem as ferramentas tecnológicas que entenderem mais adequadas para suas convenções.

Latinos desconfiam de censura em dados sobre a Covid-19

No Brasil, 47% acreditam em controle nas mídias e redes sociais. Abaixo de Espanha (54%), México (59%) e Colômbia (61%). Aqui, a TV teve a preferência para acesso à informação. Nas redes sociais, o Facebook e o WhatsApp empataram com 34%.

STF: Fachin diz que bloqueio do WhatsApp passa pela Autoridade de Dados

Assim como Rosa Weber, que relata a ADI 5527, Edson Fachin defendeu o direito ao uso da criptografia. Julgamento foi suspenso.

MP de Brasília abre inquérito para apurar venda de dados pessoais

Empresa na mira do Ministério Público do Distrito Federal e Territorios (MPDFT) é a Procob S.A. De acordo com a denúncia, essa empresa comercializa relatórios contendo informações como endereço, telefones, e-mails e outros.

TJSP começa com grupo Itaú projeto de citação eletrônica de pessoas jurídicas

Segundo oTribunal, informações técnicas para a participação foram enviadas a diversas instituições, mas por enquanto  somente o grupo financeiro respondeu. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G