GOVERNO » Compras Governamentais

Anatel abre pregão de R$ 11 milhões para serviços de TI e aposta em novo modelo

Luís Osvaldo Grossmann ... 02/07/2020 ... Convergência Digital

A Anatel está com edital na praça para terceirização de serviços de tecnologia da informação, com vistas à manutenção e evolução dos sistemas usados pela agência reguladora. O objetivo é contar com uma equipe de até 42 especialistas, em postos de desenvolvedor senior, pleno e ‘scrum master’, em contratação com valor de referência de R$ 11,8 milhões por 12 meses – extensível até 60. 

O pregão eletrônico, via Comprasnet, está previsto para 8/7. E assim como fez em abril deste 2020, quando lançou um edital para cientista de dados, a agência optou por indicar remunerações máximas, mas também mínimas para cada uma das posições pretendidas, “em função da necessidade de mitigação de riscos de execução inadequada do serviço”, segundo aponta o termo de referência. 

“Para evitar a disponibilização de profissionais de menor competência para atender às necessidades, onde o custo-benefício da disponibilização determina por se mostrar invariavelmente desfavorável à Agência, como aliás já se verificou em contratações pretéritas na área de TIC, deseja-se que o modelo possa mitigar os riscos de atraso e baixa qualidade das entregas”, aponta a Anatel. 

No caso, a remuneração mínima aceitável para ‘Desenvolvedor Senior’ é R$ 10,5 mil, enquanto para ‘Desenvolvedor Pleno’ é R$ 7,7 mil e para ‘Scrum Master’, R$ 8,1 mil. E como sustenta a Superintendência de Gestão Interna da Informação da agência, a opção faz parte da busca por um melhor sistema de remuneração de TI na administração pública, onde o antigo ‘homem-hora’ foi sendo substituído por medidas como a popular ‘unidade de serviços técnicos’, mas com diversos problemas como tem apontado o Tribunal de Contas da União

A aposta da Anatel é no aperfeiçoamento de um sistema de remuneração associado à metodologia de desenvolvimento ágil, entendida como os conjuntos de práticas muito leves desenvolvidos para beneficiar a entrega rápida de código, abrindo mão de artefatos complexos de planejamento e controle, partindo para prototipação ágil, ou seja, versões incompletas, porém funcionais, que aceleram o desenvolvimento.

“A partir da experiência concreta com time da casa com a condução dos trabalhos sob metodologia ágil, podemos afirmar que o modelo de Contrato no formato de Fábrica de Software (metodologia tradicional) remunerada por ponto de função não é o mais adequado para o serviço a ser prestado no dinamismo que entendemos ser mais célere e eficaz para a Agência”, aponta a Anatel. 

No fim, a unidade de medida adotada para remuneração do serviço prestado será o posto de trabalho e o pagamento é proporcional ao atendimento da meta estabelecida e adequado à conformidade dos serviços prestados e dos resultados efetivamente obtidos em função de um indicador de resultado, ponderado por índices de inefetividade da entrega, disponibilidade e retenção de pessoal, além do registro diário de atividades, acompanhadas diretamente por gestores da própria agência contratante. 

“Foram elaborados instrumentos de acompanhamento do contrato considerando o acompanhamento próximo dos serviços prestados, em cada atividade no dia-a-dia, por servidores da Contratante em atuação direta com os profissionais da Contratada, de maneira integrada, colaborativa e sinérgica. Esses servidores atuarão tanto no aspecto operacional de troca de informações, quanto na atuação formal como fiscais do contrato, na busca de assegurar efetividade e produtividade dos produtos entregues”, explica o termo de referência.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Suspeita de fraude faz Caixa bloquear 1,3 milhão de CPFs no Auxílio Emergencial

Total de contas bloqueadas responde por cerca de 5% dos pedidos aprovados. Para reativar o benefício, o dono da conta bloqueada terá de ir pessoalmente a uma agência e provar a sua identidade.

ABES: Software cobra transparência do ministério da Economia

Para o presidente da Associação Brasileira de Empresas de Software, Rodolfo Fücher, o veto à prorrogação da desoneração da folha chega em um momento onde a inadimplência aumenta e da falta de crédito.País caiu para 10º no ranking mundial de software.

Bolsonaro surpreende e veta prorrogação da desoneração da folha

Ao sancionar a Lei 14.020/20, presidente descartou manter o benefício até o fim de 2021 para 17 setores, inclusive TI e cal center. “Dispositivos acabam por acarretar renúncia de receita”, anotou na mensagem de veto.

Governo segue com privatização de Serpro, Dataprev e Telebras para 2021

O secretário de desestatização do Ministério da Economia, Salim Mattar, disse que não há mudança de planos do governo Bolsonaro, mesmo com o papel desempenhado pelas estatais de TI na pandemia, e está mantido o plano de vender 12 estatais no ano que vem.

Projetos estratégicos de TIC dependem do ajuste fino entre os 'novos' MCTI e Minicom

No 'novo' MCTI, ficam políticas de inovação, entre elas,  Inteligência Artificial. O Minicom assume a política de Telecom e a radiodifusão.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G