Claro: Três é bom, quatro é demais na telefonia móvel do Brasil

Luís Osvaldo Grossmann ... 15/09/2020 ... Convergência Digital

Três é bom, quatro é demais. Para o presidente da Claro, José Félix, a proposta conjunta, de R$ 16,5 bilhõès, ao lado da Vivo e da TIM pela operação móvel da Oi é a melhor saída para o imbróglio financeiro da supertele. Segundo ele, as dificuldades que levaram à venda da Nextel e a recuperação judicial da Oi seriam sinais de que o mercado celular no Brasil não comporta mais que um trio de competidores. 

“Acho que o mercado brasileiro tinha um problema, ou tem ainda até que essa operação seja concluída. As empresas atuais têm capacidade financeira para bancar uma proposta de aquisição dessa dimensão, e a gente acredita que isso vai ajudar a Oi a sair da RJ [Recuperação Judicial]. É uma solução de mercado, sem nenhum centavo do contribuinte, que afasta qualquer risco de descontinuidade dos serviços prestados hoje, tanto móvel quanto fixo”, afirmou o executivo ao abrir o segundo dia de debates do Painel Telebrasil nesta terça, 15/9. 

“Se a gente olhar os EUA, lá acontece o mesmo. Três operadoras competem pelos clientes de forma muito agressiva. Três é um bom número para telefonia móvel. Quatro é um numero complexo. Não é a troco de nada que a Nextel teve que ser vendida em situação falimentar. Não é a troco de nada que a Oi está numa RJ. A gente tem que botar os pés no chão e ver as coisas como elas são. Se conseguiu uma solução muito bacana. A gente tem que comemorar e torcer para que tudo corra bem até o final do processo”, emendou Félix. 

“Há muito pouco tempo atrás, a Anatel e o Ministério estavam preocupados com a possível descontinuidade dos serviços prestados pela operadora. Essa solução não tem interferência estatal, preserva a regulação ampliando a competição, e evita concentração de clientes e frequências em uma única operadora. O Brasil terá enormes benefícios pois será atendido por empresas que já conhecem o mercado, não entrando nenhum aventureiro.”


STJ confirma condenação da Telefônica por falta de cartões telefônicos

Multa estipulada foi de R$ 3 milhões, por conta da não venda de cartões indutivos de 20 unidades. Condenação da operadora foi mantida pela 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça.

Oi entra na disputa do mercado de marketplaces para consolidar marca de consumo

Plataforma OiPlace chega ao mercado com mais de 3 mil produtos. Tele também incluiu canal ao vivo no Oi Play, a partir da mudança da regra de conteúdo na Internet pela Anatel.

Em três meses, Anatel e PF apreendem mais equipamentos irregulares que em todo 2019

Somente entre julho e setembro deste 2020 foram 243,7 mil equipamentos sem certificação, entre baterias, carregadores, TV boxes, smartwatches e conversores digitais com Wi-Fi.

5G: Teles insistem em filtro nas parabólicas e rejeitam migração da TV

Estudo contratado pelas operadoras diz que mitigação da inferências do 5G nas antenas custaria R$ 224 milhões, enquanto transferir a recepção para a Banda Ku, acima de 10 GHz, seria R$ 1,8 bilhão. 

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G