Clicky

Claro,TIM e Vivo exigem ter prioridade na compra da Oi Móvel

Ana Paula Lobo* ... 28/07/2020 ... Convergência Digital

Claro, TIM e Vivo estão fazendo um jogo de xadrez com a Highline do Brasil e com a própria Oi. O consórcio das teles revelou o valor da contraproposta -para determinar à Highline ampliar o seu valor; está usando a 'empatia' ao falar da manutenção do mercado de telecomunicações e briga pelo direito de ser a preferida para fazer o último lance. Movimentação marca os 22 anos de privatização do setor de Telecomunicações no Brasil.

Na prática, a oferta de R$ 16,5 bilhões está sujeita, como afirmam os comunicados da Telefônica e da TIM, a seleção das ofertantes como "stalking horse" ("primeiro proponente"), com o direito de oferecer valor maior do que eventual proposta apresentada por terceiro ("right to top") no processo competitivo de venda do negócio móvel do Grupo Oi. No processo de venda dos ativos, a Oi estipulou que pode escolher a proposta mais adequada - e não a mais cara - desde que a diferença de valor não ultrapasse os 5%. Isso significa que a Oi pode escolher uma proposta menor da Highline a dar preferência ao consórcio das teles.

Vale lembrar que a Highline fez uma oferta de R$ 1,07 bilhão para ficar com os ativos de fibra da InfraCo. - ou seja para comprar 657 torres e 225 sites indoor da Oi -também a partir dos planos do fundo norte-americano Digital Colony de se tornar uma rede neutra nacional. O CEO da Oi, Rodrigo Abreu, deixou claro que Claro, TIM e Vivo estão fora da disputa da InfraCo. por determinação do plano estratégico da companhia.

Do ponto de vista regulatório, a Anatel diz que não há impedimento para o 'fatiamento' da Oi pelas três teles rivais. Do ponto de vista de competição, o CADE pode, sim, definir o projeto, mas o órgão regulador tem andado na mesma linha da agência reguladora do setor de telecomunicações.


Internet Móvel 3G 4G
TIM entra na disputa pela gestão da iluminação pública com rede de IoT

Operadora fechou parceria com a M2M Telemetria para participar dos principais projetos voltados à nova gestão dessa infraestrutura pública. Tele conta com a cobertura da rede dedicada de NB-IoT, no 4G, presente em 3460 cidades do país.

Minicom cede Artur Coimbra para ser corregedor da ANPD

O secretário de radiodifusão, Max Martinhão, acumula interinamente a Secretaria de Telecomunicações. Segundo a pasta, ainda não há novo nome para substituir Artur Coimbra.

Abinee: Diferença de custo entre migração e mitigação no 5G é menor do que apontam teles

Estudo indica valores semelhantes aos projetados pela Anatel, de R$ 1,1 bilhão para o uso de filtros e R$ 1,8 bilhão para mudança da recepção de antenas para a banda Ku.

Anatel apreende 15 mil carregadores de celulares na 25 de Março, em São Paulo

Equipamentos não homologados foram avaliados em R$ 180 mil e foram recolhidos em um único distribuidor. Outros 11 mil carregadores foram apreendidos em três operações durante o mês de novembro.

TIM: dizer que 5G DSS não é o 5G é obrigatório para não queimar a tecnologia

Operadora informa que vai ter o 5G DSS em 12 capitais para testes em bairros, mas sustenta que a transparência é crucial. "O 5G DSS tem latência do 4G", afirma o CTIO, Leonardo Capdeville. Nas capitais, o 5G DSS será exclusivo para mobilidade. O acesso banda larga fixa - FWA - continuará em piloto.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G