Clicky

Huawei: Teles e governo vão perder dinheiro se tomarem partido na guerra comercial

Luís Osvaldo Grossmann ... 09/03/2020 ... Convergência Digital

A pressão dos Estados Unidos por um boicote às fabricantes chinesas de equipamentos de telecomunicações, notadamente contra a Huawei, reflete a mudança na direção dos pagamentos por uso de tecnologia patenteada, segundo avalia a maior fornecedora do planeta. 

“De 2015 a 2018, a Huawei pagou US$ 6 bilhões em direitos de propriedade intelectual a terceiros, 80% disso para empresas americanas. E no mesmo período recebeu US$ 1,4 bilhão. Com o 5G isso vai se inverter”, afirma o diretor global de segurança cibernética da empresa, Marcelo Motta. 

“Entre 2009 e 2018 colocamos US$ 4 bilhões no desenvolvimento de tecnologias 5G e temos um grande número de patentes. Cerca de 20% das patentes essenciais do 5G pertencem à Huawei”, afirma o executivo, indicando porque a expectativa de que o fluxo tome o caminho da China. 

Apesar da pressão dos EUA, a empresa ainda mantém a liderança em contratos de redes 5G, 91 até março deste 2020, contra 81 da Ericsson. E espera manter-se entre os principais fornecedores no Brasil, confiante de que o país não vai adotar medidas restritivas. 

“Fornecemos 4G para todas as operadoras no país. E estamos no 4,5 G também, facilmente pode ser transformado em 5G. Qualquer restrição vai impactar negativamente no investimento que as operadoras já fizeram e no ‘time do market’ do 5G no Brasil, o que não é interesse nem das empresas, nem do governo brasileiro”, iniste Motta. 

Segundo ele, as acusações dos EUA de que a empresa espiona dados ou mantém backdoors para o governo chinês são falsas. “São acusações sem fundamento algum. Não operamos redes, não temos acesso a nenhum tipo de dado. não temos acesso a esses equipamentos que estão dentro das redes das operadoras.”


Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Veja mais matérias deste especial

Por casa conectada, Vivo negocia opção de ser acionista minoritária na CDF

A CDF é um marketplace de solulções de assistência residencial e tecnológica e que já é parceira na oferta do Vivo Guru. Os novos serviços serão lançados em breve, mas um deles será voltado para a instalação e  configuração de dispositivos inteligentes.

Huawei: é cedo para dizer quem está dentro ou fora da rede privada do governo

“Existe uma portaria, mas os requisitos ainda não estão completamente claros”, afirma o diretor de cibersegurança da fabricante chinesa, Marcelo Motta.

Oi entra na briga pela fibra ótica em São Paulo

Companhia diz que os pilotos comercial e de rede estão acontecendo e o lançamento ao mercado será no segundo trimestre (abril a junho) para os mercados B2C e B2B. A Oi vai usar 5,2 mil Km de rede própria oriundas da compra da MetroRed e da Pegasus no passado.

Brasileiro retorna ao pré-pago e sonha com superaplicativo

O brasileiro diz que o pré-pago oferece maior flexibilidade de uso, de acordo com pesquisa global feita pela Ding. O estudo também mostra que os brasileiros querem um superaplicativo que combine mensagens instantâneas com mídia social, varejo e serviços.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G