Convergência Digital - Home

Havaianas priorizaram data analytics da SAP para enfrentar a crise

Convergência Digital
Ana Paula Lobo* - 15/06/2020

Aos 113 anos, a Havaianas teve uma prova que é uma marca de identificação emocional muito forte com todas as camadas sociais do Brasil a partir da pandemia de Covid-19, afirmou o CEO das Alpargatas, Roberto Funari, ao participar de uma live com a presidente da SAP Brasil, Cristina Palmaka, sobre Liderança e transformação em tempos desafiadores, a economia da experiência no ‘novo normal’, nesta segunda-feira, 15 de junho, no SAPPHIRE NOW Reimagine, que pela primeira vez, está tendo uma versão 100% digital.

“Detectamos que não só no Brasil, mas em muitos lugares, todo mundo tinha uma havaiana para ficar em casa e uma para ir à rua. Na China, batemos recorde de vendas. No Brasil, redescobrimos o e-commerce na parte de higiene e limpeza”, contou Roberto Funari. À presidente da SAP Brasil, Funari reportou que, tão logo a crise eclodiu na China no começo do ano, a Alpargatas decidiu atuar na pandemia baseado em três pilares, considerados essenciais.

São eles: o apoio a sociedade ao entender que era preciso dar todo apoio possível aos colaboradores; apoio a saúde dos negócios, com a preservação do ecossistema e da continuidade dos negócios e a governança, com os times atuando remotamente de forma integrada não apenas dentro da companhia, mas também com todo o ecossistema. “As empresas estão passando por um grande teste de reputação, nunca elas estiveram tão expostas. A covid-19 determinou que era hora de se colocar o que se pregava como valores na prática efetiva. Era fazer para ser lembrado mais à frente”, salientou o CEO.

Toda a transformação passou também pela necessária atualização do uso da tecnologia, a principal habilitadora da economia da experiência. “O jogo ficou decisivo. Usamos ainda mais a análise de dados. Percebemos que as havaianas se tornaram um produto essencial. Percebemos que empatia gera empatia. Houve um engajamento digital com as nossas ações”, adicionou Funari. A matéria completa pode ser lida na Agência SAP NOW.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Destaques
Destaques

Fleury cria empresa baseada em ciência de dados e inteligência artificial

Saúde ID funcionará como um marketplace de serviços ligados à saúde e recebeu investimentos de R$ 50 milhões. O paciente terá todas suas informações de saúde integradas em uma única plataforma, que poderá oferecer às empresas e operadoras um serviço com algoritítimos preditivos.

No Brasil, empresas 'confiam, desconfiando' das multiclouds

Estudo, feito pela F5 com vários países da América Latina, mostra que as organizações têm menos confiança na capacidade da nuvem pública resistir a um ataque hacker voltada às aplicações. Escolha da nuvem é feita aplicação por aplicação.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem privada?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site