Clicky

STJ: Uso de criptomoedas para lavar dinheiro é crime de competência estadual

Convergência Digital ... 05/10/2020 ... Convergência Digital

A utilização de criptomoedas no crime de lavagem de dinheiro arrecadado com o tráfico de drogas é assunto de competência da Justiça estadual, de acordo com a decisão tomada pelo ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça. Assim, o inquérito policial contra uma mulher acusada de ter cometido esse delito será analisado pela 4ª Vara Criminal de Campinas.

De acordo com a acusação, a mulher usou o mercado de criptomoedas para lavar dinheiro oriundo do tráfico de drogas. A investigação apontou que ela tem um irmão que integra uma quadrilha de traficantes ligada ao Primeiro Comando da Capital (PCC). Ao receber o inquérito, a vara criminal estadual entendeu que os fatos em apuração estavam relacionados à prática de crimes contra o sistema financeiro nacional e a economia popular; sendo assim, cabia à Justiça federal conduzir o processo.

A Justiça federal, porém, devolveu o caso à vara estadual por considerar que não houve, em tese, cometimento de qualquer delito contra o sistema financeiro nacional ou contra o mercado de capitais. O ministro Fischer, relator do conflito de competência, lembrou que a 3ª Seção do STJ firmou entendimento no sentido de que as criptomoedas não são caracterizadas pelo Banco Central como moeda, tampouco são consideradas valor mobiliário pela Comissão de Valores Mobiliários.

Sendo assim, o ministro entendeu que a negociação das criptomoedas não configura, por si, os crimes previstos nos artigos 7º, inciso II, e 11 da Lei 7.482/1976 e no artigo 27-E da Lei 6.385/1976, que justificam a competência federal para o julgamento da ação.

Além disso, reportando-se ao artigo 109, inciso IV, da Constituição Federal, que trata da competência dos juízes federais, o relator observou que "não há evidências de prejuízo a bens, serviços ou interesse da União" suficientes para determinar o processamento do caso na esfera federal.

Com informações da assessoria de imprensa do STJ.


Cloud Computing
Vicunha Têxtil migra quase 3 mil usuários para a nuvem

Indústria têxtil escolheu a nuvem da Microsoft, a M365, e contratou a Brasoftware para fazer a implantação do projeto. Iniciativa serviu para a integração dos times na América Latina.

5x5 Tec Summit terá segunda edição de 6 a 10 de dezembro

A primeira edição do evento – que reúne os principais veículos de TIC do país – Convergência Digital, Mobile Time, Tele.Síntese, TI Inside e Teletime – registrou mais de 7 mil visitantes únicos em cinco dias de debates sobre os principais temas ligados ao governo, energia, entretenimento, saúde e finanças.

Quase um quarto dos PCs no mundo ainda usa o finado Windows 7

O sistema operacional foi descontinuado pela Microsoft em janeiro de 2020 e não recebe mais atualização e suporte às vulnerabilidades. PMEs são as maiores usuárias do sistema operacional antigo.

Netbr se une à Gluu e à openitio para ter Open Banking de código aberto

Empresas dos EUA e da Inglaterra se unem à Netbr para competir no mercado local de Open Banking.

Cade prorroga prazo para análise da aquisição da Linx pela Stone

Conselho terá até julho para julgar o ato de concentração. Stone derrotou a Totvs e pagou R$ 6,8 bilhões pela Linx.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G