Home - Convergência Digital

Europa abre espaço para Huawei como fornecedora no 5G

Convergência Digital* - 29/01/2020

A Comissão Europeia divulgou nesta quarta, 29/1, diretrizes voltadas a mitigar riscos de segurança nas novas redes 5G que na prática constituem uma resposta às pressões dos Estados Unidos ao indicar que os países membros são livres para escolherem os fornecedores da tecnologia, sem exclusão daqueles fora do bloco e com a adoção de requerimentos de segurança. 

“Os Estados Membros concordam em fortalecer os requerimentos de segurança, avaliar os perfis de risco dos fornecedores, aplicar restrições para fornecedores considerados de alto risco inclusive com exclusão de ativos críticos como núcleos de redes, e ter estratégias de diversificação de fornecedores”, diz o comunicado publicado nesta quinta. 

A decisão é bastante parecida com a saída adotada pelo Reino Unido e anunciada na véspera – de evitar usar equipamentos no core das redes daqueles fornecedores considerados de ‘alto risco’, qualificador que praticamente virou sinônimo da Huawei devido às fortes pressões do governo dos EUA para que a empresa chinesa seja banida das novas redes. 

“Não estamos escolhendo ninguém, não estamos banindo ninguém”, resumiu o comissário europeu de Mercado Interno – e ex-presidente da France Telecom – Thierry Breton. Assim como fez com relação à posição adotada pelo Reino Unido, a Huawei festejou as diretrizes da Europa como “não tendenciosas e baseadas em fatos”. 

A associação europeia de operadoras de telecom também comemorou. “O processo decisório da Europa sobre o 5G deve continuar sendo baseado em fatos, deve ser proporcional às ameaças e construído com um sólido entendimento sobre a realidade da tecnologia”, disse a ETNO em comunicado. 

* Com informações da Reuters

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

02/07/2020
Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

02/07/2020
Claro traz 5G com compartilhamento de frequência para o Brasil

30/06/2020
Vivo e TIM avançam com OpenRAN para 'quebrar' concentração dos fornecedores

30/06/2020
Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

29/06/2020
Vodafone: 5G é o remédio para combater o impacto da Covid-19

25/06/2020
Covid-19 impôs revisão dos projetos 5G na América Latina

23/06/2020
Huawei: Brasil sempre teve um mercado aberto e justo no setor de TIC

19/06/2020
CEO da Algar: Banir fornecedor do 5G seria um tremendo equívoco

18/06/2020
Aumento de espectro para 5G está em consulta pública

17/06/2020
Qualcomm leva 5G para smartphones de baixo custo

Destaques
Destaques

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Oi Móvel terá um 'único' dono e Oi não se exclui do jogo do 5G

O CEO da Oi, Rodrigo Abreu, descartou a possibilidade de vender a Oi Móvel 'fatiada' para atender aos interessados: Vivo/TIM e Claro. "Sem chance. O ativo será vendido todo", disse. Sobre o 5G, diz que dependendo do modelo de venda, a Oi entra pensando em B2B, IoT e até para ser MVNO.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site