Clicky

GESTÃO

Com uso de Blockchain, MEC lança Diploma Digital

Luís Osvaldo Grossmann ... 16/12/2020 ... Convergência Digital

O Ministério da Educação lançou nesta quarta, 16/12, o Diploma Digital. A solução, que faz uso de Blockchain e validação por certificado digital, começa em duas universidades federais, da Paraíba e Rio Grande do Norte, mas deve ser estendida para as demais até o fim de 2021. 

O foco inicial são os novos diplomas – são 250 mil formandos por ano só nas instituições federais de ensino superior – mas a perspectiva é que em uma próxima etapa sejam ‘digitalizados’ os documentos já emitidos, segundo indicou o ministro da Educação, Milton Ribeiro, durante a cerimônia de lançamento. 

“Essa primeira etapa inaugurada hoje será concluída até o final de 2021, abrangendo todas as instituições federais de educação superior, sendo 69 universidades federais e 41 instituições da rede federal de educação profissional e tecnológica. Redução do tempo e do custo, maior segurança e garantia de autenticidade são os benefícios práticos”, afirmou. 

O Diploma Digital foi desenvolvido pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa, RNP, e faz parte de um projeto que inclui dois ambientes eletrônicos, a serem lançados no próximo ano, um para validação de documentos das instituições de ensino superior, no qual será possível conferir a autenticidade dos diplomas; outro para apresentação de históricos acadêmicos. Mas como adianta o MEC, o prazo para isso vai depender do desempenho de cada uma das instituições. 

“Em seguida vamos colocar esse serviço de emissão e preservação digital dos documentos. Eles poderão ser verificados por qualquer pessoa por meio de uma plataforma de validação e isso vai permitir não só a segurança para o exercício de todas as profissões e competências, mas também a preservação. E é muito mais barato fazer dessa forma se fizermos em conjunto. A escala vai permitir ser acessível a todas as instituições”, afirmou o presidente da RNP, Nelson Simões. 

Segundo explica o subsecretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do MEC, André Castro, todos esses ambientes estão inseridos em um projeto ainda mais amplo, de criação de um ‘datalake educacional’. Como aponta, foi utilizada solução em Blockchain para criação de rede forte de integridade de informações, primando pelo lastro fiel e adequado nos processos de geração e anulação de diplomas, com múltiplas camadas de tecnologia para reconhecimento e validação do diploma: documento XML, QR Code e identificador único. Adicionalmente, serão criadas camadas de serviços e integrações para permitir automatização de processos com outros ferramentas, a exemplo da plataforma LATTES. 

"Esse projeto gera um marco na educação e na tecnologia aplicada à educação. Utilizar tecnologias emergentes como Blockchain, computação em nuvem, automação de processos, em prol da transformação digital é um item prioritário da área de Tecnologia do MEC. Aliar parceiros externos capazes e competentes, como a RNP, e áreas de negócio que possuem visões diferenciadas e dispostas a inovar com uso tecnologia, faz com que criemos oportunidades contínuas do aprimoramento da Educação no país", afirma Castro. 


Carreira
Brasileiros admitem vazar dados em troca de benefícios pessoais

Pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisa do Risco Comportamental (IPRC), em 24 empresas privadas do país, mostra que apenas 1/3 dos profissionais ouvidos têm  consciência de que o dado é um bem da organização. O restante admite não guardar sigilo das informações.

Aeroporto de Brasília automatiza medição de temperatura no combate à Covid-19

O sistema, que também detecta a utilização de máscaras tem objetivo de aprimorar a segurança do terminal e o controle de viajantes que chegam à capital federal.

TST: Sede do site de busca de empregos define foro em ação de empregado contra empresa

Técnico em manutenção hospitalar que vive em Goiás (GO) foi contratado por meio de site de Brasília (DF), por empresa de Recife (PE), para trabalhar em Natal (RN).

Com plataforma do Serpro, começa a valer antecipação de contratos com o governo

Antecipagov é um sistema que permite o uso de contratos públicos como garantia para até 70% do que os fornecedores têm a receber. 

STF derruba decisão do TST que proibiu terceirização do call center da TIM

Decisão reafirmou a cassação da Súmula 331 do Tribunal Superior do Trabalho, que vedava a terceirização das atividades-fim. 




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G