Clicky

INCLUSÃO DIGITAL

Coalizão Wifi6E Brasil pressiona Anatel pelo uso da faixa de 6GHz para não-licenciado

Por Roberta Prescott* ... 03/12/2020 ... Convergência Digital

Um movimento global, a Coalização WiFi6e Brasil, que conta com  a participação de empresas de Internet, fornecedores de tecnologia e entidades setoriais, como a Associação Brasileira de Internet (Abranet) divulgou um manifesto para pressionar a Anatel a liberar a faixa de 6GHz- 1200 Mhz - integralmente para uso não-licenciado. O documento foi entregue à agência reguladora e destaca que a faixa de 6GHz é fundamental para que as empresas de Internet possam vir a atender às demandas crescentes por redes de banda larga no país, tanto por parte dos consumidores quanto das empresas.

“Para que o Wi-Fi funcione adequadamente e possa cumprir o propósito de expandir a conectividade no Brasil, é necessário que se tenha acesso adequado ao espectro. Nesse contexto, a destinação da faixa de 6 GHz, em toda sua extensão, é fundamental para a continuidade de crescimento do Wi-Fi”, reforça o manifesto. A Anatel marcou para o próximo dia 10/12 uma reunião extraordinária do conselho diretor que, entre outros tópicos, avaliará a proposta de especificação técnica para o uso da faixa de 5.925 MHz a 7.125 MHz por equipamentos de radiocomunicações de radiação restrita.

A Coalizão WiFi6e Brasil destacou que a destinação da faixa de 6GHz precisa levar em consideração as necessidades futuras do País. O espectro não-licenciado permite a adoção de medidas voltadas a superar o abismo digital existente entre centros urbanos e zonas rurais, e em áreas urbanas mal-atendidas.  “Diante do baixo custo para sua implantação, manutenção e expansão, o Wi-Fi 6 será certamente de grande utilidade para realização das políticas públicas de telecomunicações no Brasil”, preconiza o manifesto.

Para os signatários do manifesto, o Brasil deve seguir este exemplo e liderar o movimento para o uso não-licenciado de 1.200 MHz na faixa de 6 GHz, a partir da atualização do Ato n° 14.448, definindo as especificações técnicas para operações de baixa potência indoor (LPI) e muito baixa potência (VLP). “A Anatel deve aproveitar esta oportunidade para acelerar o processo de transformação digital, contribuindo para que o Brasil possa crescer ainda mais a partir de 2021. O setor de tecnologia e, em especial, os consumidores, sem dúvida se beneficiarão da alocação das frequências da faixa de 6 GHz para uso não-licenciado.”

Confira aqui a íntegra do manifesto.


Carreira
Datathon: competição reúne jovens para uso social dos dados

Terceira edição do BCG Gamma Challange será 100% virtual e abre vez para universitários e jovens profissionais, inclusive os que estão fora do país. Disputa será pela melhor solução voltada à segurança pública. Inscrições vão até o dia 23 de abril.

CCT da Câmara quer rediscutir impacto da venda da Telebras no satélite brasileiro

Proposta de debate foi feita pelo deputado Vitor Lippi (PSDB/SP). Parlamentares querem convocar a estatal, o ministério das Comunicações, o TCU e o ministério da Defesa. Contrato com a Viasat será central no debate.

Engenharia social é um risco grave para crianças e adolescentes

A Internet se tornou o ar que respiramos e para os jovens mais ainda e cabe aos pais terem a noção que segurança da informação é educação de base, recomenda o pesquisador de ameaças na Trend Micro e fundador da comunidade Mente Binária, Fernando Mercês.

Toxicidade da Internet: seu filho pode não ser a vítima, mas o agressor

"Tem uma série de regras de educação, valores da família, formas de se comportar que não valem só para o jogo, para a rede social, valem para a vida”, diz a professora e psicoterapeuta, Ivelise Fortim.

Cert.br: Pais aprendam com as crianças a fazer uma Internet Segura

"Vamos ouvir mais do que falar. Os pais precisam fazer os filhos falarem como atuam na Internet. É uma aprendizagem mútua e necessária", recomenda a analista de segurança Miriam von Zuben. 

Mais de 70% das escolas no Brasil assumem casos de cyberbullying

É imperativo que se trate a Internet como um lugar real e que se responsabilize as pessoas pelos seus atos para evitar os ataques, observou a especialista em comportamento e psicopedagoga Érica Alvim.

Internet no Brasil vive uma onda de impunidade e agressividade

A advertência é da influenciadora de games, Nyvi Estephan. Segundo ela, nos jogos online, crianças e adolescentes refletem o ambiente e agem certas de que não vão ser punidas.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G